Dois prefeitos do interior deverão renunciar para concorrer nas Eleições 2022, mobilização de 7 de Setembro preocupa, “Tribuna Popular” somente pelo sistema digital

2 de setembro de 2021 65

Candidatos – Dos prefeitos eleitos –e reeleitos– nas eleições adiadas de outubro para novembro de 2020, quando também foram eleitos e reeleitos vereadores, somente dois dos 51 municípios do interior estão com a intenção de disputar cargos eletivos nas eleições de 2022 (presidente da República, governadores, uma das três vagas ao Senado, Câmara Federal e Assembleias Legislativas). Eduardo Japonês (PV), foi reeleito prefeito de Vilhena em 2020, após um mandato tampão, devido a cassação da prefeita Rosani Donadon, na época no MDB, em abril de 2018, com pouco mais de 15 meses, após assumir o cargo, porque teve o registro cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Japonês está sendo citado como candidato a deputado federal nas eleições do próximo ano.  

Candidatos II – O prefeito reeleito de Jaru, João Gonçalves Júnior (PSDB) é um político em ascensão e está sendo muito assediado para concorrer a cargo eletivo no próximo ano. João Júnior já foi convidado pelo presidente do MDB, deputado federal Lúcio Mosquini, para se filiar ao partido com a garantia de candidatura à sucessão estadual em 2022. Recusou. O seu partido, o PSDB já tem candidato ao governo, o prefeito-reeleito de Porto Velho, Hildon Chaves, mas há um impasse dentro do ninho tucano, pois o ex-senador Expedito Júnior, liderança expressiva no Estado tem compromisso com o senador Marcos Rogério, presidente regional do DEM, que também postula o cargo de governador. Não está descartada uma candidatura de Gonçalves Júnior a governador. Quem viver verá...  

Candidatos III – João Júnior é nome em condições de concorrer à sucessão estadual, com chances de sucesso, porque tem estrutura político-financeira e competência para enfrentar o desafio de comandar o Estado a partir de 2023. Ele está ciente, que o apoio de Expedito Júnior, principalmente no interior é fundamental. Quem não se lembra da primeira eleição do ex-governador Ivo Cassol, prefeito de Rolim de Moura, que deixou o cargo (no segundo mandato seguido) para concorrer ao governo do Estado nas eleições de 2002, e venceu no segundo turno ao então governador, José Bianco com mais de 59% dos votos válidos? Quem apresentou Cassol nos municípios do interior foi Júnior, que garantiu a eleição do ex-prefeito. É importante destacar, que na ocasião, Bianco venceu Cassol nos dois turnos em Porto Velho. Foi o interior que garantiu a eleição de Cassol.  

Manifestação – Preocupa o excesso de radicalismo entre os simpatizantes –ou fanáticos–  de o presidente Bolsonaro e do ex-presidente Lula, como já afirmei em colunas anteriores que poderá favorecer uma convulsão social, o que não seria nada bom para a população brasileira. As manifestações pró-governo marcadas para a próxima terça-feira (7 de setembro) a cada dia ganham maior propulsão de fanatismo e isso é perigoso para um Estado democrático. A preocupação é enorme com a possibilidade de se desencadear uma batalha campal entre os dois lados com consequências sem dimensões para o futuro do País. Somente quem viveu a Revolução de 64, sabe o que isso significa. O temor, pelo pior, é grande.  

Tribuna – A última sexta-feira (27) foi um dia muito triste para a Família Costa, que perdeu sua Rainha, a Dona Nanza (Maria de Lourdes Costa), de 92 anos, que trocou a terra pelo Céu. E o povo de Rondônia recebeu pela última vez uma edição impressa do jornal “Tribuna Popular”, com sede em Cacoal, do amigo Adair Perin, após 41 anos “e uma semana”, que ele fez questão de destacar da edição histórica. O “Jornal do Perin”, como todos conheciam, edição impressa não será mais encontrado como ocorria todas às sextas-feiras junto aos assinantes e nas bancas. O jornalismo perdeu importante órgão impresso, como ocorre nos demais estados e no planeta, devido a modernização, a tecnologia. Rondônia só tem a agradecer o Perin e a seus funcionários pioneiros, como o Bimba, que veio de Umuarama (Tribuna do Povo), dentre outros para Cacoal. E parabéns para o Mestre, Montezuma Cruz, ex-colega da “Folha de Londrina”, desde a década de 70, quando ele já era redator na sucursal de Campo Grande e eu iniciava o trabalho no jornal como motorista, em Londrina, que escreveu o Editorial de despedida: “Parem as máquinas!”.  

Respigo  

A realização da Operação Alcance, pela Polícia Federal (PF), nossa polícia de elite, hoje (1º) em Rondônia atua e em mais três estados. Estão em ação 200 policiais para se cumprir 102 mandados judiciais e 42 prisões preventivas +++ Em Rondônia a ação da PF ocorrem em Porto Velho, Guajará-Mirim e Cacoal. Os trabalhos também estão sendo desenvolvidos em Minas Gerais, Ceará e Roraima +++ Não estaria descartada uma ampliação das ações, hoje concentradas no narcotráfico a outros segmentos. A semana terminará somente no sábado (4) e setembro, mês das flores, está apenas começando +++ A presidente da Câmara de Vereadores de Ouro Preto do Oeste, Rosária Helena (...) esteve na manhã de hoje (1º) visitando a sede da Escola do Legislativo, que pertencente à Assembleia Legislativa (Ale). Rosária, que também preside a União de Câmaras e Vereadores do Estado de Rondônia-Ucaver, para o biênio 2021/2023, foi recebido pelo servidor Emerson de Lima, pois ela quer levar para a sua cidade os cursos “O Papel do Vereador” e “Técnica Legislativa”, oferecidos pela escola dos deputados, via EAD (ensino à distância), através da internet.

Fonte: WALDIR COSTA
RD POLITICA ( WC E REDAçãO)