Empresário de Luva de Pedreiro era arrogante e escondia informações

25 de junho de 2022 67

Mais uma polêmica envolvendo o influenciador digital Luva de Pedreiro e o seu ex-empresário Allan de Jesus foi descoberta. Segundo as fontes da coluna LeoDias, que já tentaram negociar com o antigo agente do jovem antes, o dono da ASJ Consultoria sempre respondeu de forma ríspida e demonstrava ter pouquíssimo tato para negociar as propostas que lhe eram entregues.

Ainda segundo o profissional, que preferiu não se identificar e nem mesmo revelar para qual marca trabalha, quando o Luva de Pedreiro estourou na web, ele entrou em todos os planejamentos da marca para participar de futuros eventos, peças publicitárias e afins, porém tais negociações nunca chegavam ao conhecimento de Iran. Ou seja, Allan é quem decidia o que o dono do bordão “receba!” iria fazer ou não. Ele negava-se até mesmo a ter conversas com os possíveis contratantes quando o assunto eram doações.

“Era unanime no mercado a prepotência dele no trato com as marcas. Certamente Allan deixou de aproveitar o momento (que iria passar, como passou) para faturar ainda mais. Prometia que teria novidades, dizia que estava em negociações mas a única que de fato se concretizou foi a Amazon. Se tivesse sido bem gerenciado, o Luva teria sido uma ‘Juliette’ em termos de faturamento”, disse outra fonte sobre a forma que o dono da ASJ agia.

Conforme já anunciado antes por esta coluna, Iran Ferreira, o Luva de Pedreiro, em um ato de desespero recorreu a uma grande estrela do esporte para ajudá-lo a gerenciar a sua carreira após o clima de desconfiança com seu então empresário. O atleta, inclusive, é quem neste momento passa está em fase de negociações para formalizar a gestão de carreira do influenciador.

O contato entre Luva e o esportista, que preferiu não ser identificado, aconteceu nessa terça-feira (21/6) e após saber minimamente da situação do jovem, mandou imediatamente sua equipe de jurídico para a resi

Nesse encontro, por exemplo, o novo empresário ficou sabendo que a conta do Instagram de Luva sequer estava em nome dele, mas sob o comando do antigo empresário. Somente com muito custo ele finalmente conseguiu recuperar a conta e dar total acesso ao jovem.

Como também já noticiado por esta coluna, o dinheiro de Luva de Pedreiro também está sob total controle do empresário, visto que as duas únicas contas bancárias que o influenciador tem acesso possuem um giro de R$ 7.500 e um saldo praticamente não existente – o que em nada condiz com os contratos firmados pelo influenciador. Para se ter uma ideia, uma fonte da área do marketing de influência uma vez sondou cotação nas mídias do Luva e se deparou com números altíssimos.

O início foi tão promissor, que mesmo sem exclusividade com alguma empresa, seu primeiro grande faturamento foi de R$ 300 mil. A explosão veio logo na sequência, há dois meses, quando o jovem baiano virou o sonho de consumo da Amazon Prime Video para a divulgação do cardápio de eventos esportivos do serviço de streaming. O contrato rendeu a ele nada menos que R$ 1 milhão.

Para onde foi esse dinheiro?

O que falta entender é sobre como todo esse dinheiro foi gerenciado, visto que mesmo após o estouro nas redes sociais o jovem continua residindo em uma casa simples, no interior da Bahia. Até nessa terça-feira (21/6), a carreira do talentoso tiktoker estava sob o guarda-chuva da ASJ Consultoria, do empresário Allan Jesus, mas após as polêmicas, agora está em fase de negociações para ser gerida por um novo empresário.

Nesse encontro, por exemplo, o novo empresário ficou sabendo que a conta do Instagram de Luva sequer estava em nome dele, mas sob o comando do antigo empresário. Somente com muito custo ele finalmente conseguiu recuperar a conta e dar total acesso ao jovem.

Como também já noticiado por esta coluna, o dinheiro de Luva de Pedreiro também está sob total controle do empresário, visto que as duas únicas contas bancárias que o influenciador tem acesso possuem um giro de R$ 7.500 e um saldo praticamente não existente – o que em nada condiz com os contratos firmados pelo influenciador. Para se ter uma ideia, uma fonte da área do marketing de influência uma vez sondou cotação nas mídias do Luva e se deparou com números altíssimos.

O início foi tão promissor, que mesmo sem exclusividade com alguma empresa, seu primeiro grande faturamento foi de R$ 300 mil. A explosão veio logo na sequência, há dois meses, quando o jovem baiano virou o sonho de consumo da Amazon Prime Video para a divulgação do cardápio de eventos esportivos do serviço de streaming. O contrato rendeu a ele nada menos que R$ 1 milhão.

Para onde foi esse dinheiro?

O que falta entender é sobre como todo esse dinheiro foi gerenciado, visto que mesmo após o estouro nas redes sociais o jovem continua residindo em uma casa simples, no interior da Bahia. Até nessa terça-feira (21/6), a carreira do talentoso tiktoker estava sob o guarda-chuva da ASJ Consultoria, do empresário Allan Jesus, mas após as polêmicas, agora está em fase de negociações para ser gerida por um novo empresário.

 

Fonte: METRÓPOLES/André Júnior