Filho acusa Cid Moreira de sequestro e estupro; jornalista rebate e vai à Justiça

7 de fevereiro de 2024 69

Roger Felipe Naumtchyk Moreira, filho adotivo de Cid Moreira, denuncia o jornalista por sequestro e estupro. Em documentos obtidos pela IstoÉ Gente, o cabeleireiro relata que foi abusado pelo pai mais de 1.700 vezes durante oito anos, entre 1992 e 2000.

Trecho da denúncia de Roger Felipe contra Cid Moreira

Trecho da denúncia de Roger Felipe contra Cid Moreira (Crédito:Arquivo IstoÉ)

Entenda o caso

Sobrinho de Ulhiana Naumtchyk, que foi casada com Cid Moreira por 20 anos, Roger foi morar com o casal no Rio de Janeiro com cerca de 15 anos. Em sua denúncia, ele relata que, à época, saiu do Rio Grande do Sul para visitar a tia, mas foi “impedido” de retornar por Cid — o jornalista teria insistido que ele mudasse para a residência do casal. 

Após a mudança, Cid propôs que Roger se tornasse seu “secretário particular”. O cabeleireiro relata que, nas primeiras semanas, tudo correu normalmente. No entanto, o jornalista teria passado a convidar o então sobrinho à sauna, onde teriam começado os abusos. Em sua denúncia, ele ainda relata que o jornalista teria impedido o contato com seus pais biológicos e com o mundo exterior.

“Eu sabia que aquilo que tinha acontecido não estava nada certo. Mas eu não podia sair, falar e nem ligar para ninguém […] Um dia procurei tentar pesquisar para saber sobre o assunto, mas era praticamente impossível, porque o telefone do escritório era trancado com um cadeado e o computador tinha senha. Os telefones da casa tinham bloqueio para não fazer interurbano. Ele me deixava totalmente isolado com ele. Eu não podia ter nenhum contato externo”, narra o cabeleireiro, em seu depoimento.

“Quando ele descobriu que eu estava tentando pesquisar, foi muito horrível. Ele ficou totalmente transtornado, gritava muito alto e quebrava todas as coisas que estavam em cima da mesa do escritório. Ele me deixou de castigo, disse que me mandaria embora e mandou que eu ficasse no quarto até ele autorizasse que eu saísse de lá”, completa.

Em entrevista exclusiva à IstoÉ Gente, Roger ainda desabafou: “Ele me tratava como um filho justamente para que as pessoas não desconfiassem, porque aquilo já era uma desconfiança na época. Na Globo, uma vez, surgiu o comentário que eu era o ‘Garotão do Cid’. Essa coisa começou a incomodar e, a partir daí, ele começou a dizer que eu era filho dele. Sempre ‘Meu filho, meu filho, meu filho’, mas olha quantos anos levou para a adoção se concretizar”, desabafou Roger, que foi adotado oficialmente por volta dos 21 anos.

Página de um exemplar de 2000 da Revista Caras, que está anexada à denúncia de Roger contra Cid

Página de um exemplar de 2000 da Revista Caras, que está anexada à denúncia de Roger contra Cid (Crédito:Reprodução/Caras)

Procurada pela reportagem, a 1ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Territorial da área Zona Sul e Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, informou que a denúncia, que foi protocolada em 23 de outubro de 2023, foi arquivada em 7 de novembro seguinte.

Defesa de Cid Moreira rebate

Em conversa com a reportagem, Fátima Sampaio, esposa de Cid, classificou as acusações como absurdas. Ela também enviou um documento de agosto de 2023, que registra uma apelação contra a sentença que impediu que Roger indenizasse Cid após uma denúncia de abandono parental, indicando que o imbróglio familiar não é recente e parece estar longe de acabar.

Leia o pronunciamento oficial:

Aos 97 anos de idade, Cid Moreira se depara novamente com uma declaração caluniosa proferida por Roger Moreira, que já o processou em outras cinco ocasiões sem êxito. Esta não é a primeira vez que Roger acusa Cid de maneira absurda e difamatória.

Em 2022, Roger foi ao ar em cadeia nacional e acusou a esposa de Cid de mantê-lo em cárcere privado e de lhe servir comida estragada. Naquela ocasião, ele pleiteava a guarda do pai adotivo com a alegação de querer cuidar de Cid Moreira. Meses mais tarde, outra declaração surgiu: Cid estava senil e não podia mais responder por seus atos. Todas essas afirmações eram mentirosas e visavam claramente interesses financeiros.

O maior questionamento que se faz hoje é: como alguém que queria a guarda do pai para cuidar e “dar amor” agora pede a prisão do mesmo?

Todas as calúnias proferidas por Roger foram levadas à Justiça e julgadas. Em todos os casos, foram consideradas mentirosas e difamatórias, garantindo a vitória de Cid Moreira.

Agora, enfrentando mais uma tentativa de abalar sua inquestionável reputação como jornalista, os advogados de Cid estão preparando mais um processo. Confiantes na justiça, térrea e divina, acreditam que, mais uma vez, essa calúnia será desmascarada.

ASSESSORIA CID MOREIRA

Fonte: BEATRIZ MIZUNO