Flamengo empata e desperdiça chance de entrar na briga pela liderança

12 de novembro de 2023 39

O Flamengo deixou escapar a oportunidade de encostar de vez na briga pela liderança do Campeonato Brasileiro. Jogando o clássico com o Fluminense no Maracanã, o rubro-negro dominou o primeiro tempo e abriu o placar no Rio de Janeiro, mas caiu de produção na etapa final e cedeu em empate em 1 a 1 para o campeão da Copa Libertadores. O resultado desta 34ª rodada não tira o time de Tite da briga pelo título, mas o mantém dependendo de outros resultados para assumir a ponta.

Isso porque o Flamengo tem um jogo a menos que Palmeiras e Grêmio, os concorrentes pela liderança, e a vitória no clássico deste sábado o colocaria em condição de chegar na mesma pontuação dos demais, já que todos têm 59. O empate, porém, deixa o clube com 57 pontos, na quinta posição. O Fluminense, que já está na próxima edição da Libertadores e praticamente não tem mais ambição no campeonato, fica com 47.

Agora, os dois times ganham uma folga na tabela para as rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2026. O Flamengo só volta a jogar no dia 23 de novembro, às 21h30, em jogo atrasado com o Red Bull Bragantino no Maracanã, pela 30ª rodada. No dia anterior (22), às 21h30, o Fluminense recebe o São Paulo no mesmo estádio, mas pela 32ª rodada da competição.

A partida deste sábado já reunia todos os ingredientes para um grande jogo muito antes de a bola rolar no fim de tarde quente do Rio de Janeiro. De um lado, o atual campeão da Libertadores com o técnico da seleção brasileira. Do outro, o campeão continental de 2022 com o treinador que comandou a equipe nacional nas últimas duas Copas do Mundo. Para completar, um Maracanã com as arquibancadas completamente preenchidas.

Mas a expectativa de um clássico equilibrado não se confirmou no início do confronto: o Flamengo foi o senhor do primeiro tempo. Os comandados de Tite envolveram completamente o Fluminense, que praticamente não passou do meio-campo. Sempre que o time de Fernando Diniz ameaçava trocar seus passes habituais, a marcação encostava rapidamente e já fazia o corte, prevenindo o goleiro Rossi de sujar o uniforme.

O intenso volume de jogo flamenguista por pouco não se transformou em goleada no Maracanã. Primeiro, aos 15 minutos, Pulgar desarmou Marlon e soltou com Gerson, que rapidamente encontrou Everton Cebolinha aberto pela esquerda. O atacante ajeitou o corpo e bateu rasteiro, mas a bola explodiu na trave e a marcação cortou o rebote.

Na segunda grande chance do Flamengo, Gerson limpou a marcação pelo meio e encontrou um belo lançamento para Filipe Luís pela esquerda. O veterano chegou de cabeça erguida e tocou nos pés de Luiz Araújo, que finalizou duas vezes. Na segunda, o rebote caiu nos pés do lateral esquerdo rubro-negro, mas Fábio fez outra grande defesa.

Mais tarde, com 42, Arrascaeta cruzou pela direita e Pedro subiu na linha da pequena área, mas a marcação cortou em cima. A bola sobrou com Gerson na marca do pênalti. O meia dominou no peito e ficou livre para finalizar, mas tentou bater colocado no canto e o chute saiu sem força, deixando a defesa fácil para o goleiro do Fluminense.

Quando a primeira etapa já caminhava para os acréscimos, o Flamengo finalmente conseguiu converter a sua superioridade em números, abrindo o placar no Maracanã. Um dos melhores em campo neste sábado, Erick Pulgar encontrou um passe rápido para De Arrascaeta pelo meio. O craque uruguaio dominou, girou, cortou, deixou o zagueiro Nino no chão e bateu com muita qualidade para abrir o placar aos 46 minutos.

Muito desconfortável com o desempenho do Fluminense no primeiro tempo, Fernando Diniz promoveu três alterações no intervalo: Yony González, Diogo Barbosa e Lima nos lugares de Keno, Marcelo e Marlon, respectivamente. Com a saída do zagueiro pela esquerda, o treinador recuou André para a primeira linha, mudança comum ao longo da temporada.

As trocas mudaram o panorama da partida e o tricolor passou a controlar a posse de bola, trocando passes rápido pelo meio e avançando em bloco, modelo que o levou ao título da Libertadores. Na primeira grande chance, aos sete minutos, Arias carregou pela direita e cruzou rasteiro para o meio. Ganso fez o corta luz e Yony González chegou batendo de primeira, mas mandou por cima da meta.

De tanto insistir, o Fluminense finalmente encontrou o empate aos 17 minutos. Martinelli levantou a cabeça e mandou um balão para a grande área. Arias leu muito bem a jogada e subiu mais alto do que a marcação para ajeitar de cabeça para a segunda trave. Yony González correu por trás da marcação, aproveitou a indecisão de Rossi e deu um carrinho para empurrar a bola às redes.

Antes do apito final, aos 41, o Fluminense teve uma chance inacreditável de vencer o clássico. Diogo Barbosa encontrou um passe incrível para John Kennedy pelo meio. O herói da Libertadores recebeu na frente sem marcação e ficou cara a cara com Rossi, mas bateu muito mal, sem força, e o goleiro argentino fez grande defesa.

Já nos acréscimos da partida a temperatura subiu ainda mais no Rio de Janeiro. Primeiro, Léo Pereira se desentendeu com John Kennedy no meio-campo. Depois, Gabriel fez falta em Nino e encarou o zagueiro. Os dois trocaram ofensas e agressões, formou-se um princípio de confusão e o jogo foi paralisado. Depois de alguns minutos, Wilton Pereira Sampaio expulsou o atacante do Flamengo e o zagueiro do Fluminense.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 1 X 1 FLUMINENSE

FLAMENGO - Rossi; Matheuzinho, Fabrício Bruno, Léo Pereira e Filipe Luís (Ayrton Lucas); Erick Pulgar, Gerson e Arrascaeta (Everton Ribeiro); Luiz Araújo (Bruno Henrique), Pedro (Gabriel) e Everton (Thiago Maia). Técnico: Tite.

FLUMINENSE - Fábio; Samuel Xavier, Nino, Marlon (Lima) e Marcelo (Diogo Barbosa); André, Martinelli e Ganso (Alexsander); Arias, John Kennedy e Keno (Yony González e depois Lelê). Técnico: Fernando Diniz.

Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO