Lira quer tributária como legado e assume papel de “relator-geral”

9 de julho de 2024 27

Ao cumprir a promessa que fez ao ministro da Fazenda, Fernando Haddad, de colocar para votação os PLs (Projetos de Lei) que regulamentam a reforma tributária, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), expôs que leva a aprovação dos textos como projeto pessoal no fim do seu mandato como chefe da casa.

O legado que Lira quer construir seria o de fiador da reforma tributária, bem como o principal incentivador da pauta verde na Câmara. A Haddad, o presidente garantiu que a regulamentação passará pela casa até o fim desta semana.

Lira se colocou no papel de “relator-geral” dos textos, controlou os dois Grupos de Trabalho e não escolheu quem serão os deputados que defenderão a regulamentação. Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Pedro Lupion (PP-PR) chegaram a ser considerados.

A votação, prevista para a quarta-feira (10/07), deverá ter cerca de 400 votos favoráveis à reforma, segundo contas do governo, de líderes e do próprio Lira.

Ainda não se sabe se o presidente da Câmara discursa antes da apreciação (como feito em dezembro de 2023), mas uma fala dele é esperada.

Fonte: Vinícius Nunes