Moraes marca audiência de custódia de Valdemar e outros presos pela PF

9 de fevereiro de 2024 51

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), marcou para esta sexta-feira (9/2) as audiências de custódia dos presos pela Polícia Federal (PF) no âmbito da Operação Tempus Veritatis, que investiga suposta organização criminosa que atuou na tentativa de “golpe de Estado” para manter Jair Bolsonaro (PL) no poder, após a derrota nas eleições de 2022.

As audiências serão realizadas por videoconferência, na seguinte ordem:

  • Filipe Garcia, por videoconferência, para o dia 9/2/2024, às 14h, na Superintendência da Polícia Federal no Paraná;
  • Marcelo Câmara, por videoconferência, para o dia 9/2/2024, às 14h20, no Batalhão da Guarda Presidencial (BGP);
  • Rafael Martins de Oliveira, por videoconferência, para o dia 9/2/2024, às 14h40, na Comando da Artilharia Divisionária da Divisão do Exército; e
  • Valdemar Costa Neto, por videoconferência, para o dia 9/2/2024, às 15h, na Superintendência Regional da Polícia Federal no Distrito Federal.
  • No caso de Valdemar Costa Neto, presidente do PL, por exemplo, a audiência de custódia irá avaliar a prisão em flagrante por posse ilegal de arma de fogo e por usurpação mineral.
  • Costa Neto foi preso em sua residência, na região central de Brasília, que fica no mesmo prédio que a sede do PL.

    Como mostrou a coluna de Paulo Cappelli, do Metrópoles, aliados afirmam que o ouro seria um “presente” que o político recebeu “de um amigo”. A perícia da PF apontou se tratar de uma pepita de ouro, pesando 39,18 gramas, com 95,26% de grau de pureza.

  • A defesa de Valdemar defendeu que não há fato relevante para a prisão. Os advogados do presidente do PL disseram que a pepita tem baixo valor e não configura delito segundo a própria jurisprudência, além de que a arma seria registrada e que pertenceria a um parente.

Fonte: Manoela AlcântaraFlávia Said