O ‘efeito Marçal’ nas redes sociais e no Google

7 de junho de 2024 23

Levantamento da consultoria Bites mostra que o coach Pablo Marçal (PRTB, foto), que tem assediado o ex-presidente Jair Bolsonaro em busca de apoio para sua campanha à prefeitura de São Paulo, pode não liderar as pesquisas, mas aparece em primeiro luar nas buscas feitas no Google sobre os pré-candidatos da capital paulista, registrou O Globo.

Segundo o jornal, o nome do influenciador digital foi buscado, em média, na última semana, sete vezes mais do que os do prefeito Ricardo Nunes (MDB) e dos deputados Guilherme Boulos (Psol) e Tabata Amaral (PSB).

Nas redes sociais, o desempenho de Pablo Marçal, que possui 14,4 milhões de seguidores em seus perfis oficiais no X, Facebook, Instagram e YouTube, se traduz em 3,2 milhões de interações. O deputado federal Kim Kataguiri (União-SP) teve 570 mil interações, consolidando-se como o rival mais próximo do coach em desempenho.

Em seguida, aparecem Guilherme Boulos, com 445 mil interações; Tabata, com 375 mil; e Nunes, com 22 mil.

Para suas aferições, a consultoria adota um algoritmo que interpreta a capacidade de um perfil gerar engajamento em um universo específico.

O que motivou as buscas sobre Pablo Marçal

De acordo com a consultoria, as buscas sobre o coach foram impulsionadas por dois episódios: a oficialização de sua pré-candidatura pelo PRTB e a divulgação da pesquisa AtlasIntel, em 28 de maio, que apontou Marçal em terceiro lugar na disputa pela prefeitura da capital paulista, com 10,4% das intenções de voto.

Como está Marçal nas pesquisas

De acordo com uma pesquisa Datafolha divulgada no final de maio, Ricardo Nunes e o deputado federal Guilherme Boulos (Psol-SP) estão tecnicamente empatados nas intenções de voto na disputa pela Prefeitura de São Paulo, com 24% cada. Marçal, por sua vez, aparece com 7% das intenções de voto, um ponto percentual abaixo de José Luiz Datena (PSDB) e Tabata Amaral (PSB).

Outras pesquisas eleitorais recentes também mostram a presença de Marçal nas sondagens. Ele obteve 10,4% na pesquisa CNN/Atlas, 7% no Datafolha e 5,1% no Paraná Pesquisas. Em todas elas, Boulos e o atual prefeito ocupam as duas primeiras posições, sendo que em duas delas há um empate técnico entre eles.

A estratégia

Como mostramos mais cedo, o coach e influenciador digital tem em mente uma estratégia muito clara para tentar esvaziar o palanque do atual chefe de Poder Executivo paulistano, Ricardo Nunes (MDB).

Ele trabalha em duas frentes. A primeira: aproximou-se da ala mais radical do PL, e tem dado sinais claros de que vai acatar a pauta do chamado “Bolsonarismo raiz”, sem qualquer tipo de restrição a nomes ou bandeiras do ex-presidente da República.

Fonte: Redação O Antagonista