O perfil dos imigrantes brasileiros que tentam chegar nos EUA

23 de dezembro de 2021 207

Melhores condições de vida, mais oportunidades, um mercado de trabalho mais flexível e bem remunerado. Essas são algumas das principais razões que motivam os brasileiros a tentar uma nova vida nos Estados Unidos. 

E, apesar dessa movimentação não ser uma tendência recente, o número de brasileiros vivendo no exterior nunca foi tão grande quanto no cenário atual. 

Segundo dados do Itamaraty, o crescimento foi de 35% entre os anos de 2010 e 2020, passando a marca de 3,2 milhões de pessoas.

Para compreender melhor este cenário, é preciso levar em consideração não só as questões socioeconômicas, mas também as expectativas e ambições que levam ao aumento dessa procura. 

As razões para o fluxo migratório 

Nem a pandemia da Covid-19 impediu os brasileiros de buscarem residência em terras estrangeiras. Na verdade, o cenário inclusive contribuiu para que o fluxo migratório aumentasse consideravelmente nos últimos anos. 

Isso porque a crise instaurada em diversos países da América do Sul, incluindo o Brasil, estimulou a procura por condições melhores e mais oportunidades de trabalho. 

Segundo dados do IBGE, atualmente o Brasil possui cerca de 13,5 milhões de desempregados, número este que se agrava a cada dia diante de um cenário pouco favorável para a população.

A desesperança de que a situação no país há de melhorar também é um dos fatores que mais contribuem para a busca pela mudança, além da ambição de fugir da violência que hoje está entre os maiores problemas de algumas cidades brasileiras. 

O perfil do imigrante brasileiro

Foi-se o tempo em que o perfil do imigrante brasileiro era limitado apenas aos jovens, solteiros e de classe média. Embora esse seja o perfil que dominou o cenário por boa parte do tempo, atualmente a situação se mostra bem diferente. 

Cada vez mais famílias de diferentes classes sociais, incluindo as mais baixas, têm incluído nos seus planos tentar uma nova vida no exterior. 

O estilo de vida americano atrai não somente aqueles que buscam melhores oportunidades de trabalho, mas também quem deseja aprimorar seus conhecimentos na língua inglesa e, até mesmo adquirir mais experiência na área de atuação. 

A maior parte dos imigrantes brasileiros têm nível superior e vem principalmente das regiões Sudeste e Centro-Oeste do país.

De forma geral, quem sai hoje do Brasil, não tem a pretensão de voltar. Isso explica porque a maioria daqueles que saem, estão indo em grupos familiares. 

As barreiras encontradas na imigração 

No entanto, nem mesmo o fechamento do Consulado Americano, a paralisação na emissão de vistos e os perigos de atravessar ilegalmente a fronteira impedem os brasileiros de tentar uma vida melhor nos EUA.

Na falta de meios legais para alcançar seus objetivos, muitas vezes o imigrante acaba por recorrer a soluções mais perigosas para se firmar em solo americano. 

Somente entre os meses de janeiro e julho deste ano, cerca de 37 mil brasileiros foram barrados e deportados pelo serviço americano de Alfândega e Proteção de Fronteiras durante a tentativa de entrar sem o visto exigido pelos Estados Unidos. 

Além dos riscos legais resultantes da travessia ilegal, que vão desde um processo criminal até um registro permanente no passaporte, que impede o regresso aos EUA, o processo ilegal de imigração oferece riscos à saúde e a vida de quem tenta.

A travessia ilegal faz parte de uma rota dominada pelo tráfico de drogas no México, o que expõe os imigrantes a diversos perigos que podem inclusive acarretar em danos irreversíveis. 

Outras formas de imigrar para os EUA

Para evitar problemas com a justiça e preservar a integridade, o melhor a se fazer se o seu objetivo é morar nos Estados Unidos, é realizar os trâmites conforme a lei. 

Existem hoje, diversos tipos de visto e oportunidades para se firmar em solo americano, sem precisar passar por nenhum processo perigoso. 

Visto de estudante

Uma das melhores formas de conseguir o visto americano e garantir sua permanência legal na terra do Tio Sam é solicitar um visto de estudante. 

Estudar no exterior garante a você a oportunidade de morar nos Estados Unidos de forma legal e abre um leque de oportunidades no mercado de trabalho. 

Durante a estadia, é possível aproveitar para encontrar um emprego com contrato de trabalho, o que te possibilita estender a permanência e até mesmo solicitar o tão famoso Green Card. 

A dica para ter o visto aprovado de forma mais rápida, é ter toda a papelada necessária para comprovação em mãos na hora da entrevista, incluindo a tradução juramentada de diplomas e outros documentos. 

Investimentos no exterior

Outra forma de conseguir o documento de permanência é fazendo um investimento no país. No entanto, nesta categoria existem alguns critérios que devem ser cumpridos para conseguir o visto. 

Basicamente, o investidor precisa de um valor mínimo de investimento de US$ 500 mil em regiões menos desenvolvidas e US$ 900 mil em grandes centros, além de outros pormenores que podem ser verificados diretamente com as empresas de investimento. 

Proposta de trabalho

Ir para os Estados Unidos com um contrato de trabalho já formalizado é uma das maneiras mais fáceis e seguras de garantir sua estadia. 

Isso porque, é mais provável a liberação do visto para alguém que participará ativamente da economia do país do que para alguém que está tentando a sorte no exterior.

A dica é buscar oportunidades nos sites de contratação estrangeiros, participar de grupos de vagas nas redes sociais e é claro, fazer aquele bom e velho networking com profissionais do mesmo setor em que você atua. 

 

Fonte: Dalton Ribeiro