O satélite e o peixe + Novo caminho + Fornada de prefeitos + União Brasil

13 de outubro de 2021 18

O satélite e o peixe

Por mais que os cientistas não mirem a conquista de riquezas com suas pesquisas, elas precisam ser apoiadas até que produtos e serviços venham a trazer ganhos futuros para os investidores. A final, a riqueza não cai do céu: ela já está latente na natureza e cabe aos homens descobrir como utilizá-las.

O escritor Arthur Clarke propôs em 1945 criar satélites para melhorar as telecomunicações, mas não patenteou a ideia e outros ganharam com ela. Em 1945, o mundo só queria superar o pesadelo da guerra. Reconstruir o que se perdeu era a ideia dominante. O maior desejo da humanidade agora é deixar para trás o pesadelo da pandemia, mas é preciso focar na ciência para superar as dificuldades do presente. No caso da expedição que aplicou na bacia do Rio Javari o sequenciamento de DNA ambiental para avaliar a diversidade de peixes, pode ser que de imediato ninguém ainda veja sua importância e alcance.

Na expedição se comprovou que capturar e identificar os animais pelos métodos tradicionais ainda é necessário para criar bibliotecas de material genético. No sequenciamento, apenas 26% das amostras deram identificação precisa, mas com o avanço da técnica será possível ter informações sobre todos os peixes da área sem interferir em seu meio ambiente movimentando pessoal e materiais de captura. No futuro, essa pesquisa renderá vantagens para quem souber aproveitá-la.

.............................................................................

Novo caminho

Com o recém-criado União Brasil, originado de uma fusão entre os Democratas e o PSL, especula-se sobre os novos caminhos do senador Marcos Rogério que ficará sem partido, o seu DEM, assim que o TSE homologue a nova legenda que já nasce com o comando do governador Marcos Rocha. Para alguns, a melhor alternativa do parlamentar seria acompanhar o presidente Jair Bolsonaro ao seu novo partido, mas se ele for ao União Brasil, a coisa degringola de vez. No PP, já tem Ivo Cassol, que cortaria suas asinhas também. Qual, então seria o seu destino para disputar o CPA Rio Madeira? O PSD dos Expeditos?

Fornada de prefeitos

Da atual fornada de prefeitos eleitos nas eleições de 2020 em Rondônia, pelo menos quatro tem se destacado em termos administrativos. Cito os casos do prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSDB), Joãozinho Gonçalves (Jaru), Carla Redano (Progressistas -Ariquemes) e Eduardo Japonês (PV-Vilhena). Graças a projeção encontrada, Hildon Chaves é citado como provável candidato ao governo de Rondônia e Carla Redano uma das opções para vice do atual governador Marcos Rocha, que toca seu projeto de reeleição.

Eleições 2022

Nas primeiras sondagens deste colunista pelo estado posso citar como nomes mais lembrados para a disputa estadual no ano que vem, os dois ex-governadores Ivo Cassol (PP) e Confúcio Moura (MDB), que inclusive foram eleitos e reeleitos, os únicos com este retrospecto até hoje. O atual governador Marcos Rocha (União Brasil) está em alta pelo estado, mas fraqueja na capital, onde estão 30 por cento dos eleitores. Tratando-se da capital, o prefeito Hildon Chaves é soberano para a peleja do CPA, tem a ponteira garantida. No entanto, no interior do estado, onde estão dois terços do eleitorado rondoniense ainda está mal das pernas.

União Brasil

O União Brasil, o novo partido, resultado da fusão do PSL com os Democratas, já se prepara para as eleições 2022, definindo alguns candidatos aos governos estaduais. Onix Lorenzoni (Rio Grande do Sul), o senador Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, em Minas Gerais e o projeto de reeleição do governador de Rondônia Marcos Rocha. É provável que na Bahia ACM Neto seja o postulante ao governo estadual. Existem algumas alianças preferenciais iniciadas e já em curso em alguns estados onde o presidente precisa reforçar suas paliçadas.

Algumas pistas

Temos algumas pistas indicando que o presidente Jair Bolsonaro poderá optar pela filiação ao União Brasil. Em primeiro lugar porque não houve revoada de senadores e deputados federais dos partidos da fusão, ou seja, do PSL e os Democratas. Em segundo lugar porque até a bolsa família terá um nome parecido, já está denominado auxílio Brasil. Por último se trata de um partido alinhado ideologicamente com a família Bolsonaro e que terá a maior fatia dos recursos do fundão eleitoral. A nova legenda foi organizada sob medida para o projeto de reeleição do presidente.

Via Direta

 

*** O presidenciável tucano, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite já causa preocupação entre os petistas.  A orientação do comando nacional é para o PT gaúcho comece a fustigar o postulante do PSDB desde já *** Os prefeitos rondonienses gostaram da nova cota do Fundo de Participação dos Municípios que vai ampliar os orçamentos dos alcaides tão fragilizados nos últimos anos *** Eles acreditam que com mais FPM e recursos provenientes das emendas parlamentares dos congressistas e deputados estaduais será possível tocar o barco. Pequenas cidades rondonienses não se sustentam só com o FPM, como se sabe *** Os gastos com combustíveis, energia e alimentação seguem aumentando causando transtornos a população em geral. Ricos, pobres e remediados têm sido atingidos. 

Fonte: CARLOS SPERANÇA
POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)

Colunista político do Jornal "DIÁRIO DA AMAZÔNIA", Ex-presidente do SINJOR, Carlos Sperança Neto é colaborador do Quenoticias.com.br. E-mail: csperanca@enter-net.com.br