O temido Alexandre de Moraes e Rodrigo Pacheco, o que não se mexe, formam a dupla mais poderosa nos dias de hoje, no nosso Brasil

12 de fevereiro de 2024 36

O Brasil, hoje, está nas mãos de apenas duas autoridades. Uma pode conter a outra, mas não o faz. A outra, não tem mais como voltar atrás, depois de ter tomado muitas decisões, ao arrepio das nossas leis e, principalmente da Constituição. Claro que o poder constitucional está nas mãos do presidente Lula e de seu governo, mas na prática, a maior autoridade hoje no Brasil é a do ministro Alexandre de Moraes. É ele quem prende e manda soltar; que preside inquéritos, alguns sem fim, inclusive nos que ele é vítima (obviamente, um magistrado nessas condições deveria se declarar  impedido); determinou centenas de prisões, baseando-se numa teoria até gora sem comprovação definitiva de que teria havido uma tentativa de golpe de Estado e, enfim, se tornou a figura pública que centraliza toda a força nas suas mãos, sempre avalizado pelo atual Governo, pelo comando das Forças Armadas e com apoio incondicional da Polícia Federal. Na vida real da atualidade brasileira, o Congresso Nacional passou a ser apenas um órgão decorativo. Inquéritos que correm em segredo de Justiça são proibidos de serem informados à autoridades do Senado, por exemplo, que têm a missão de fiscalizar tudo, inclusive os órgãos de informação, como a Abin. Acima do poder nas mãos do ministro mais temido da história do Supremo Tribunal Federal, não há qualquer força que possa colocar a situação nos trilhos da Constituição e nos livrar do risco de um ativismo judicial irreversível? Sim há, só que não se mexe. É tão “imexível”, porque não se mexe, quanto essa expressão, criada pelo então ministro do Trabalho dos anos 90, Rogério Magri, que também cunhou a inesquecível frase de que “cachorro também é ser humano”!

O rondoniense de nascimento, mas mineiro de quase toda a vida, o político que preside o Senado, Rodrigo Pacheco, é a única figura que tem o poder constitucional de autorizar a abertura de investigações e até um processo de impeachment de um ou mais ministros do STF. Mesmo com tudo o que tem acontecido (há exageros sim, que precisariam, pelo menos, de explicação ao Parlamento) Pacheco faz ouvidos de mercador, quando pressionado para reagir. Há um número considerável de membros da Câmara Federal e do Senado que não concordam com o que está acontecendo, mas muitos também são temerosos de reações mais duras e que, por exemplo, alguns dos processos ainda parados no STF, contra eles, possam andar. Será o mesmo temor de Rodrigo Pacheco? Não se sabe na verdade. O que se sabe é que Alexandre de Moraes não tem mais como voltar atrás. Assumiu um papel que nem a ele é mais dado o direito de retroceder. Até onde ele irá, ainda não se sabe. E o que fará Pacheco? Ah, a resposta para essa pergunta pode valer alguns milhões de dólares...

 

O CANADÁ É O 54º PAÍS A COMPRAR A CARNE DE QUALIDADE DE RONDÔNIA. EXPORTAÇÕES PARA CINCO PAÍSES CHEGAM A  3 BILHÕES E MEIO DE REAIS

Do agronegócio rondoniense, a cada semana, só se ouve boas notícias. ainda mais quando se trata nossa carne, que começará a ser comercializada, a partir de agora, para o 54º país a importar um produto de qualidade mundial. A carne verde rondoniense, vinda de um rebanho de quase 18 milhões de cabeças, a imensa maioria criada apenas com pasto e sem qualquer aditivo alimentar, começa a invadir o mercado do Canadá e chegar à mesa de um dos mercados mais exigentes do mundo. Livre da aftosa sem vacinação, a carne produzida em Rondônia é uma das mais requisitadas em todos os países onde é consumida. Informações oficiais do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, apontam que a carne processada (congelada, fresca ou refrigerada) produzida no nosso Estado, chega atualmente a 53 países. O número cresce com a aprovação dos negócios com o Canadá. A China é nossa maior cliente, com faturamento de 434 milhões de dólares comprados no ano passado. Depois vem os Emirados Árabes (com 90 milhões de dólares); Chile (88 milhões); Egito (43 milhões) e Estados Unidos, (41 milhões de dólares). Apenas estes cinco países representaram quase 700 milhões de dólares, ou, “traduzindo” para nossa moeda, algo em torno de quase 3 bilhões e 500 milhões de reais. Se o governo federal não nos atrapalhar com políticas ideológicas e confusas, mas continuar apoiando o setor, virá muito mais por aí. 

 

ROCHA COMEMORA: RONDÔNIA É DESTAQUE NACIONAL E INTERNACIONAL, POR CAUSA DA QUALIDADE DA NOSSA PECUÁRIA

 

 

 

Não foi do dia para a noite que a carne rondoniense começou a tomar o mundo. A batalha vem de longos anos, com intensas parcerias do governo do Estado com os produtores, primeiro numa grande batalha para acabar com os riscos da aftosa, com várias campanhas vencedoras, até que, no atual governo, nossa carne foi considerada totalmente livre da doença e sem vacinação, o que a colocou num novo patamar perante os consumidores de dezenas de países. Não há como não destacar a atuação do governo Marcos Rocha, nestes avanços que nossa produção primária tem tido. Pelas redes sociais, ele comemorou o avanço no mercado do Canadá, como mais uma conquista importante. Fez questão de comemorar, também, nossa quarta posição no ranking brasileiro em exportações de carne e a primeira colocação, nesse quesito, em toda a região norte. Empolgado, Marcos Rocha registrou que “Rondônia é mais uma vez destaque nacional e internacional e o motivo é a nossa força da pecuária. Ficamos em primeiro lugar na exportação de carne bovina da região norte e em quarto lugar no ranking nacional. A preocupação do nosso governo sempre foi trazer melhores condições e oferecer a oportunidade dos nossos produtores terem seus produtos reconhecidos e isso já é uma realidade”.

 

OS RAUPP, MOSQUINI E CRISPIM FILIAM CENTENAS DE RONDONIENSES AO MDB, EM 32 CIDADES, NUM PÉRIPLO DE DEZ DIAS

Ao invés de carnaval, política! Quanto mais perto fica a eleição de outubro, mais as lideranças se mobilizam. Um dos partidos que mais têm percorrido as cidades rondonienses, sem dúvida alguma, é o MDB. Um quarteto peso-pesado das urnas (Valdir Raupp, Marinha Raupp, Lúcio Mosquini e Ismael Crispin), está viajando junto ou eventualmente separado, para visitar mais cidades, fazendo centenas de novas filiações, fortalecendo a sigla e trabalhando duro para que ela eleja o maior número de vereadores e prefeitos possível. O périplo começou nesta quinta-feira, dia 8 e vai durar nada menos do que dez dias. Neste período, o quarteto pretende visitar e fazer reuniões com simpatizantes e novos membros do MDB em nada menos do que 32 cidades rondonienses, ou seja mais de 60 por cento de todas as 52 cidades do Estado. Mosquini é o presidente regional do partido e o tem feito crescer muito nos últimos tempos. Ismael Crispim ingressou na sigla há pouco tempo, mas representou um salto no eleitorado da região central. Já os Raupp dispensam maiores comentários. O que se sabe é que ele, Valdir Raupp, pode ser candidato ao Senado em 2026, enquanto Marinha Raupp, a princípio, será apenas um cabo eleitoral de luxo.

 

CARLA REDANO, FERA E THIAGO FLORES: NOMES QUENTES NA DISPUTA PELA SUCESSÃO EM ARIQUEMES

Esquentam as disputas eleitorais em Rondônia. Uma delas é em Ariquemes, uma das mais importantes cidades do Estado, governado atualmente com bom desempenho pela prefeita Carla Redano. Ela é, portanto, o nome mais quente na sucessão da cidade que já deu a Rondônia um governador (Confúcio Moura); dois senadores (Confúcio e Ernandes Amorim), vários deputados federais e estaduais. Um dos parlamentares da ALE, dos mais atuantes, é Alex Redano, que foi importante na primeira e surpreendente eleição de Carla, que entrou na campanha na reta final e venceu e, certamente, o será novamente, na busca de mais um mandato da sua esposa. Alex Redano, aliás, será novamente presidente da Assembleia Legislativa, bo biênio 2025/2026 e, portanto, comandará o Poder num ano de disputa pelo Governo e renovação do parlamento e da bancada federal. Hoje o principal nome que pode se interpor no caminho de Carla Redano é o vereador Fera, que foi cassado mas que, por essas questões da nossa política, ainda pode ser deputado federal. Ele é o primeiro suplente da bancada e se o STF mudar o cálculo dos votos na última eleição (o caso está sendo decidido no STF) pode assumir a vaga de Lebrão. Um terceiro nome é o do atual deputado federal e ex-prefeito Thiago Flores. Perguntado sobre se irá disputar novamente a Prefeitura, Flores respondeu: “Tudo pode acontecer. A política aqui em Ariquemes está bem nebulosa. O que eu posso dizer? Não assumo, mas também não descarto!” E, breve se saberá quem, está na disputa, além desse possível trio.

 

MUDAR A SETE DE SETEMBRO: VEREADOR CRIA PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DA PRINCIPAL AVENIDA DA  CAPITAL

Uma iniciativa do vereador, professor e historiador Aleks Palitot, com o apoio da arquiteta Cristina Barreiros, teve destaque, neste final de semana, numa publicação do site Rondoniaovivo, dando início certamente, a um debate sobre a necessidade urgente de revitalização e revalorização da avenida Sete de Setembro, no centro da Capital, que hoje está com cada vez menos lojas e praticamente atirada à própria sorte. Palitot se uniu à arquiteta Cristina Barreiros e, juntos, elaboraram um projeto de revitalização da avenida Sete de Setembro e da região central de Porto Velho. Com aval do prefeito Hildon Chaves para começar tocar o assunto adiante, porque ele é também de interesse da administração municipal, Palitot, um dos mais atuantes vereadores da Capital, começou a promover reuniões com secretários municipais e o presidente da Fundação Cultural, Godofredo Neto, para a elaboração de uma proposta inicial de profundas mudanças na Sete. A principal avenida de Porto Velho, aliás, já poderia ter sido muito melhorada há pelo menos uma década atrás, quando 96 milhões de reais foram liberados para uma série de mudanças em toda a avenida, mas o dinheiro voltou para a União, por não ter sido utilizado. Uma ação judicial de um único comerciante da área, determinou a perda dos recursos e das mudanças na Sete de Setembro. Palitot agora começa a mexer novamente na ferida. Terá sucesso?

 

 “ATIVIDADE CRIMINOSA”: MAIS DE 50 DRAGAS E BALSAS QUEIMADAS NO RIO MADEIRA, EM GRANDES OPERAÇÕES QUE DEIXAM GARIMPEIROS SEM NADA

No Brasil da contramão, onde traficantes e assassinos são tratados com benevolência por nossas leis absurdas e trabalhadores são considerados criminosos, a Polícia Federal comemora a destruição de mais de 50 dragas e balsas usadas no garimpo no rio Madeira, principalmente na região de Porto Velho, mas também em Humaitá, já no Amazonas. Aeronaves, equipes táticas especialmente treinadas e explosivos foram usados para incendiar, destruir e deixar com todos os equipamentos inutilizados, as embarcações que eram usadas por famílias, algumas há vários anos, na busca do ouro, que ainda abunda no maior rio de Rondônia e principal afluente do Amazonas. A informação ainda trata o garimpo  como “atividade criminosa”, como se a garimpagem estivesse no mesmo nível de dos crimes realmente assustadores, como o tráfico de drogas, que toma conta de várias áreas da Amazônia e também o de armas. As ONGs internacionais, apoiadas pelo governo brasileiros e suas instituições, certamente comemoram cada vez que há, uma operação dessas, porque a riqueza mineral não será usada por brasileiros. Centenas e centenas de trabalhadores e suas famílias estão ficando sem nada, perseguidos duramente de uma forma que jamais se viu por aqui. As grandes mineradoras, de olho no Madeira e os grandes olhos internacionais, ávidos por nossas riquezas, torcem por mais e mais ações como essas!

 

EMPRESÁRIOS RONDONIENSES QUE COMANDAM MAIOR INDÚSTRIA DE BICICLETAS DO PAÍS RECEBEM MAIOR HONRARIA DA CÂMARA FEDERAL

Foi daquelas homenagens entre as mais merecidas. Dois grandes empresários de Rondônia, que comandam uma empresa campeã nacional na fabricação de bicicletas, receberam a maior comanda que a Câmara Federal concede a brasileiros: a Medalha do Mérito Legislativo. Os irmãos Eugênio e Euflávio Ribeiro receberam a honraria em solenidade com a presença do deputado que propôs a homenagem, o rondoniense Lúcio Mosquini e do presidente a Câmara, deputado Arthur Lira. A Medalha Mérito Legislativo destina-se a condecorar autoridades, personalidades, instituições ou entidades, campanhas, programas ou movimentos de cunho social, civil ou militar, nacionais ou estrangeiros, que tenham prestado serviços relevantes ao Poder Legislativo ou ao Brasil. Como membro da mesa diretora da Câmara Federal, o quarto secretário Lúcio Mosquini tem a prerrogativa de indicar dois homenageados, enquanto os líderes partidários podem indicar um. Mosquini disse que o grupo Cairu é o maior fabricante de bicicletas do Brasil, gera milhares de emprego não só em Rondônia mais em quase todos estados beneficiando pessoas de forma direta e indireta. “A Ciclo Cairu tem filiais em vários Estados da federação. A empresa une a distribuição de peças de bicicletas e motocicletas com a industrialização de bicicletas, oferecendo produtos competitivos e de alta qualidade, gera milhares de empregos, participa de programas sociais, além de ser uma das maiores geradoras de emprego de Rondônia”.

 

PERGUNTINHA

Depois de tantos dias carnaval, festa, gastança e ainda faltando três dias para o fim da farra, você folião, ainda tem algum dinheiro ou está endividado para o ano inteiro? E seu fígado, vai aguentar até a manhã da quarta-feira de cinzas ou já está pedindo socorro há algum tempo e você faz de conta que nada está errado?

Fonte: SÉRGIO PIRES
OPINIÃO DE PRIMEIRA (SERGIO PIRES)

Colaborador do www.quenoticias.com.br: Sérgio Pires, experiente jornalista e que escreve a coluna OPINIÃO DE PRIMEIRA no jornal Estadão do Norte. Atua também na TV Candelária, onde apresenta aos sábados o programa Candelária em Debate e diariamente o "PAPO DE REDAÇÃO" na rádio Parecis FM. Contato através e-mail: ibanezpvh@yahoo.com.br / celular: 81 24 24 24