Oposição confirma diplomata como rival de Maduro

20 de abril de 2024 39

A oposição venezuelana ratificou a candidatura do diplomata Edmundo González Urrutia nas eleições de 28 de julho contra o ditador Nicolás Maduro.

Urrutia não era a primeira opção da oposição. Nas primárias, quem venceu foi María Corina Machado.

O diplomata, de 74 anos, estava inscrito como “candidato provisório” da Plataforma Unitária Democrática (PUD), mas a coligação decidiu na sexta-feira, 19, aprovar a sua candidatura definitiva.

Como María Corina foi inabilitada por 15 anos e teve sete membros de sua campanha detidos, ela indicou a professora Corina Yoris. Contudo, Corina Yoris não conseguiu se inscrever pelo site do Conselho Nacional Eleitoral.

Quem conseguiu foi Urrutia, que é bem menos conhecida que María Corina Machado.

Maduro, assim, sai com larga vantagem na cédula, em que só aparecem homens e não há nenhum rosto famoso da oposição.

A farsa eleitoral na Venezuela

O ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, está preparando cuidadosamente a farsa eleitoral, marcada para o dia 28 de julho. Como mostrou a revista Crusoé, ele não apenas conseguiu escolher os seus rivais, como também está selecionando os eleitores que poderão participar do pleito.

A cédula eleitoral divulgada recentemente mostra a imagem de Maduro treze vezes. Todos os rostos da primeira fileira são do ditador.Isso ocorre porque a cédula, chamada de tarjetón pelos venezuelanos, traz sempre no primeiro quadrado, à esquerda, o candidato que tem mais partidos o apoiando.

Em seguida, são colocados os demais partidos da mesma coalizão, com o seu candidato. No caso, Maduro.

Fonte: Redação O Antagonista