PEC Nº 7/2018, esta sim, abre perspectivas para ex-servidores do Beron

7 de junho de 2022 411

Lá vou eu de novo falar sobre a possibilidade transposição para a União dos ex-funcionários do antigo Banco do Estado de Rondônia (Beron). Só que desta vez é diferente: a leitura do texto normativo indica favoravelmente, coisa que, como demonstrei das outras vezes, nunca existiu. Quem teve inteligência suficiente para ler e entender os artigos que publiquei poderá agora desfrutar de um novo texto, em que demonstro a abertura de possibilidade. Tudo passa a depender agora da aprovação da PEC.

Perceba-se que, do jeito que a coisa hoje está, apenas empresas criadas pela União ou pelo Ex-Território é que são contempladas. E esse não é o caso do Beron, visto que foi criado já pelo Estado, diferentemente do Banroraima, criado ainda nos tempos do Território Federal de Roraima. Pois bem: aí está a diferença que muitos se recusaram – e alguns ainda se recusam – a enxergar. E o que é pior: atacam quem lhes mostra a verdade e cultuam a mentira dos espertinhos que falam em um direito líquido e certo que nunca existiu. Podendo vir a existir, sim, a partir da promulgação da Emenda derivada da PEC, se aprovada. Direito pretendido, direito presumível e direito líquido e certo são conceitos bem distintos

Em 7 de outubro de 2019, publiquei um artigo sob o título “PEC Nº 7 é diploma de mentiroso pra quem assegurava transposição do Beron - Proposta de emenda constitucional ainda tem erros, mas vem abrir perspectivas reais para transposição de ex-servidores do Banco de Rondônia”. É só procurar no Google. Ou seja: três anos atrás eu já denunciava as mentiras e trazia a lume uma perspectiva verdadeira. Mas vou colocar o link aqui, porque sempre tem um analfabeto digital querendo acessar: https://www.gentedeopiniao.com.br/opiniao/artigo/pec-no-7-e-diploma-de-mentiroso-pra-quem-assegurava-transposicao-do-beron.

 

Infelizmente poucas pessoas tiveram inteligência emocional suficiente para se permitirem absorver a verdade que eu trazia no meu texto. Mas agora vão ter que engolir as críticas desairosas e ofensas pessoais que me fizeram. Que Deus perdoe a estupidez dessa gente e lhes permita desfrutar ainda dessa transposição caso saia; Pois a maioria desse povo já está velho, com problema na coluna, uns até com incontinência urinária. Eu mesmo só tenho é que agradecer a Deus pela inteligência, jovialidade e beleza física de que me dotou. Ah... e pela minha humildade também. Já ia esquecendo.

Fonte: EDSON LUSTOSA
EDSON LUSTOSA

Edson Lustosa é jornalista há 30 anos e coordena o projeto Imprensa Cidadã, do Centro de Estudos e Pesquisas de Direito e Justiça. Escreve às segundas, quartas e sextas-feiras especialmente para o Que Notícias?.