Quem vai pagar os prejuízos da fazenda Norbrasil, invadida e vandalizada?

5 de junho de 2024 37

E ainda, veja quem já está oficializado como 'pré-candidato' a prefeito de Porto Velho, os prazos para convenções e as alianças que podem se formar

Abrindo

A fazenda Norbrasil, situada próximo a Porto Velho (RO) teve 14 mil hectares de sua área de reserva florestal desmatada, após ter sido invadida durante a pandemia de Covid 19. Em dezembro de 2022, a sede da fazenda, que abrigava em seu pasto e currais cerca de 5 mil cabeças de gado, foi vandalizada por um grupo de invasores. Tratores e camionetes foram queimados, e o prejuízo inicial chegou a R$ 10 milhões. Cerca de 700 famílias vivem atualmente nos fundos da propriedade, onde antes era reserva ambiental que foi desmatada.

Cenário de horror

Antes da depredação da sede da Norbrasil, os proprietários chegaram a ser acusados de formar uma ‘milícia’ armada, o que posteriormente ficou comprovado que eram apenas seguranças que protegiam a sede da propriedade. Com a ação do Ministério Público, a área foi totalmente vandalizada, conforme mostram imagens que circularam na época (vídeo abaixo publicado aqui mesmo no período).

Não era bem assim

O MP, responsável pelas acusações, não conseguiu comprovar as acusações de ‘milícia armada’, tampouco que os proprietários tinham qualquer tipo de envolvimento com as mortes que ocorreram, resultado da ação de membros de um grupo que se autodenomina ‘Liga dos Camponeses Pobres’ (LCP), que há décadas aterroriza propriedades rurais em Rondônia, As mortes, de acordo com a polícia, foram decorrentes de rixas e brigas que nada tinham a ver com a propriedade.

E agora?

Quando vandalizaram a Norbrasil, o gado foi parar na pista, os currais incendiados, e a sede da fazenda está fechada. Os animais foram vendidos e os prejuízos se acumulam. Durante a pandemia, uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) impedia o despejo, e cerca de 460 famílias que já haviam saído, voltaram e continuam até hoje no local, juntando-se as demais que haviam permanecido. Os prejuízos com a depredação não foram pagos, os proprietários acumulam as contas e ninguém se responsabiliza.

Insegurança

Que o Brasil possui problemas crônicos de latifúndios, de áreas griladas, isso não é nenhuma novidade, mas não é o caso da Norbrasil. A fazenda possui escritura pública, que remonta às décadas de 40 e 50, e é uma propriedade produtiva, que possuía, inclusive a área de reserva florestal, que teve quase sua totalidade desmatada de forma criminosa, e ninguém foi punido. Enquanto o Estado não levar à sério a questão da reforma agrária, passando a assumir sua função, a insegurança predomina, principalmente em Rondônia, um dos estados que mais registra conflitos no campo. O caso é sério, porque o mesmo que aconteceu na Norbrasil, se repete em propriedades menores, onde invasores chegam a expulsar famílias que estão há décadas em seus lotes, mas não conseguem a garantia de suas propriedades. Pelo jeito, os prejuízos são apenas dos proprietários.

Só para relembrar

No Distrito de Rondominas, região de Ariquemes, a Agropecuária Amaralina foi invadida em 2016 pela LCP que se declara “apoiadores da sagrada luta pela terra”. Tudo foi destruído, trabalhadores foram torturados e tiveram seus bens roubados, e a área em questão é totalmente produtiva, exceto uma extensa área de reserva averbada pelo Ibama, que segundo os invasores “seria latifúndio improdutivo”.

Ainda o campo

Rondônia registrou um aumento de 50% no número de focos de queimadas nos primeiros cinco meses de 2024, em comparação com o mesmo período de 2023, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). As queimadas ativas foram detectadas em tempo real via satélites, conforme informações do INPE. O "Programa Queimadas" do Instituto revelou que, de janeiro a maio de 2024, Rondônia teve 282 focos de queimadas, um aumento de 50% em relação ao mesmo período de 2023, quando foram detectados 188 focos.

Na disputa

Benedito Alves (Solidariedade), Célio Lopes (PDT), Euma Tourinho (MDB), Fátima Cleide (PT), Mariana Carvalho (UNIÃO), Marcelo Cruz (PRTB), Ricardo Frota (Novo), Samuel Costa (Rede), Valdir Vargas (PP), Vinicius Miguel (PSB). Esses são os nomes oficializados até agora como pré-candidatos a prefeito de Porto Velho. Mas nos próximos dias deve ser anunciada a entrada de Léo Moraes (Podemos).

Alianças

Ainda é muito cedo para ‘bater o martelo’ sobre quem realmente vai para a disputa. Nomes de centro e esquerda, como Vinicius, Fátima, Célio e Samuel, podem abrir mão de suas candidaturas para apoiar candidatos com mais corpo, como Léo e Marcelo, formando uma frente ampla para enfrentar Mariana, por exemplo. Além disso, existe a possibilidade do MDB também compor, rifando o nome de Euma Tourinho, o que já aconteceu em passado recente. Candidatura, de verdade, só após as convenções e atas devidamente registradas no Tribunal Regional Eleitoral.Até lá, muita água vai rolar.

E a data limite é…

5 de Agosto. Último dia para que os partidos políticos e as federações realizem convenções para deliberar sobre a formação de coligações e sobre a escolha de candidatas e candidatos aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador. No dia 15 de agosto, é o último dia para os partidos políticos, as federações e as coligações requererem o registro de candidatas e candidatos aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereadores, porque no dia 16 tem início a campanha em rádios, TVs e internet.

Quem não deve consumir sementes de chia e por quê

Embora traga muitos benefícios à saúde devido às suas propriedades, alguns aspectos deste alimento devem ser levados em consideração. Quanto às suas propriedades, acredita-se que seja fonte de fibras, ômega 3, magnésio, cálcio e vitaminas. Além disso, possui ações vasodilatadoras, antitrombóticas, anti-inflamatórias e que ajudam a fortalecer articulações, músculos e ossos. Seu consumo também serve para emagrecer. Mas há certos grupos de pessoas que, de acordo com suas condições de saúde, devem evitar consumi-los. Pessoas com hipertensão - Para os medicamentos prescritos para tratar a pressão arterial, o consumo excessivo de sementes de chia pode reduzir a pressão arterial e diminuir a eficácia dos medicamentos. Pessoas que tomam anticoagulantes - As sementes de chia aumentam o risco de hemorragia ou sangramento, por isso devem ser evitadas por quem toma anticoagulantes - Alérgico a nozes ou plantas da mesma família - Quem tem alergia a nozes ou plantas relacionadas à Salvia hispanica (nome científico da chia) deve evitar o seu consumo. As reações alérgicas podem ser graves e é importante estar atento a quaisquer sintomas de alergia ou intolerância, como erupções cutâneas, inchaço ou dificuldade em respirar.

Fonte: ALAN ALEX
PAINEL POLITICO (ALAN ALEX)

Alan Alex Benvindo de Carvalho, é jornalista brasileiro, atuou profissionalmente na Rádio Clube Cidade FM, Rede Rondovisão, Rede Record, TV Allamanda e SBT. Trabalhou como assessor de imprensa na SEDUC/RO foi reporte do Diário da Amazônia e Folha de Rondônia é atual editor do site www.painelpolitico.com. É escritor e roteirista de Programas de Rádio e Televisão. .