Romário e Marcos Braz são investigados por desvio em verbas esportivas no RJ

27 de maio de 2024 58

Recentemente, as atenções se voltaram para uma investigação conduzida pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal envolvendo figuras políticas conhecidas, como o senador Romário (PL-RJ) e o vereador Marcos Braz (PL), também vice-presidente de futebol do Flamengo. A acusação é de um suposto desvio de dinheiro destinado a projetos esportivos na cidade do Rio de Janeiro.

Detalhes da investigação e os processos em curso

O inquérito, sob relatoria do ministro Kassio Nunes Marques e mantendo-se em sigilo, foi aberto no Supremo Tribunal Federal e procura investigar indícios de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A suspeita levanta questões significativas sobre a gestão de verbas públicas destinadas a incentivar o esporte na cidade carioca.

Segundo as investigações, o esquema envolvia a passagem de Marcos Braz pela Secretaria Municipal de Esportes do Rio, com indicações que teriam sido potencializadas por Romário. Inclusive, rumores apontam que contratos superfaturados foram firmados com a ONG Cebrac para a gestão das vilas olímpicas, totalizando aproximadamente R$ 13 milhões.

Quais provas sustentam as acusações?

O empresário Marcus Vinícius Azevedo da Silva, que já esteve envolvido em armadilhas legais previamente, fechou um acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República, pauta que embasa a investigação atual. Nas conversas reveladas, aponta-se que a ONG Cebrac, com a qual foram assinados contratos suspeitos, era possivelmente gerida por pessoas de confiança do delator, sugerindo um círculo de favorecimento e desvio de recursos.

Além disso, a análise detalhada dos contratos apontou discrepâncias significativas nos valores pagos comparados aos anos anteriores, o que levantou suspeitas de sobrepreço sob a gestão de Braz.

Reações dos envolvidos nas acusações

Em nota, Romário descredita as narrativas trazidas pela delação de Marcus Vinícius, denotando-as como vagas e imprecisas. Ele reitera sua confiança na justiça e no esperado arquivamento das investigações. Marcos Braz, por sua vez, expressou surpresa diante das investigações e escolheu não se pronunciar detalhadamente sobre o caso.

Este panorama notável ressalta a importância da transparência e da integridade na gestão dos recursos públicos, principalmente quando destinados a programas sociais como os esportivos. À medida que a investigação avança, mais detalhes deverão esclarecer a amplitude e as particularidades deste caso que envolve esportes, política e figuras públicas no Rio de Janeiro.

Assessor de Romário também é citado nas investigações

  • Marcus Antônio Teixeira, conhecido como Marcos San, é apontado como parte do esquema para garantir o repasse ilegal dos valores.
  • Sua conexão com o senador e o papel no gabinete são cruciais para entender a estrutura do suposto esquema.

Portanto, o desenvolvimento deste caso é uma questão de interesse público e aguarda-se mais movimentações da justiça e possíveis resoluções ou aprofundamentos das acusações em pauta.

Fonte: Redação O Antagonista