Rondônia Rural Show Internacional mobiliza Rondônia, mulheres ganham espaço na política de Porto Velho, diretor do Detran-RO será candidato a prefeito?

15 de maio de 2024 27

 RRSI – Em Rondônia o assunto predominante é a realização da Rondônia Rural Show, no período de 20 a 25 deste mês em Ji-Paraná, no Centro Tecnológico Vandeci Rack. É a feira do gênero mais importante da Região Norte e, em 2023 comercializou mais de R$ 3,5 bilhões, número que deverá ser superado este ano. O Governo do Estado transferiu a sede para Ji-Paraná, o mesmo ocorrendo com a Assembleia Legislativa (Ale), que terá, inclusive, sessão extraordinária no estande próprio na quinta-feira (23), com homenagens a autoridades. A RRSI mobiliza toda a região, com destaque para os setores hoteleiro, que estão lotados desde o início do ano e o gastronômico, que tem dificuldades para atender a demanda durante a semana da mostra, além do agropecuário, lógico.

Política – Na RRSI de 2023, a equipe de o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB) foi exemplo na cobertura do evento. Durante toda a mostra o grupo de jornalismo de Hildon, comandada pelo experiente Alssandro Lubiana acompanhou todos os passos políticos do prefeito da capital, além de distribuição de material de qualidade, informativo, não badalativo. Para a feira da próxima semana a expectativa é que a cobertura será até superior, porque hoje, além de prefeito de Porto Velho, Hildon é presidente da Associação Rondoniense dos municípios-Arom e prepara uma pré-candidatura a governador para 2026, pois seu mandato de prefeito terminará no final deste ano, mas da entidade somente em 2026. Não há dúvidas que a RRSI é uma vitrine para todo o Estado e politicamente muito importante para quem tem pretensões políticas futuras.

Mulheres – Aos poucos as mulheres vão ganhando espaços na política regional. A Assembleia Legislativa elegeu cinco mulheres nas eleições de 2020. Somente uma delas é da capital, Yeda Chaves (UB), que obteve a segunda maior votação do Estado (24.667). As demais parlamentares são do interior: Rosângela Donadon (UB-Vilhena), Gislaine Lebrinha (UB-São Francisco do Guaporé), Cláudia de Jesus (PT/Ji-Paraná), Taíssa Sousa (Podemos/Guajará-Mirim). A situação já não é a mesma na câmara de vereadores de Porto Velho. O legislativo municipal da capital é composto de 21 vereadores, número que será ampliado para 23 a partir do próximo ano e somente duas mulheres: Márcia Socorrista (PSDB) e Elis Regina (UB) no Parlamento Mirim. As mulheres precisam ampliar a representatividade na câmara de vereadores a partir das eleições de outubro próximo e nota-se intensa mobilização em vários partidos políticos.

Mulheres II – As eleições a prefeito de Porto Velho, de outubro próximo, por enquanto já tem três mulheres como pré-candidatas à sucessão municipal, todas com chances de sucesso, pois estão em partidos e grupos fortes politicamente. A ex-deputada federal e ex-vereadora de Porto Velho, Mariana Carvalho (UB) está na lista de pré-candidatas a prefeita da capital. O MDB, que tem o senador Confúcio Moura como líder maior, também se antecipou e lançou a juíza aposentada, Neuma Tourinho como pré-candidata. Neuma não tem passagem pelo processo político-partidária e será a primeira vez que irá enfrentar as urnas. Se não tem popularidade, também não tem rejeição, um dos sérios problemas dos políticos. O PT optou pelo nome da ex-senadora Fátima Cleide, realmente uma liderança consolidada de oposição no Estado e com uma ampla folha de bons serviços prestados na sua passagem pelo Senado.

Expectativa – Existe um clima de curiosidade sobre o futuro político do diretor-geral do Detran-RO, Léo Moraes, presidente regional do Podemos. Nas eleições de 2020, Léo concorreu a governador em 2022 e ficou na terceira colocação com Hildon Chaves (PSDB), que se reelegeu, e Cristiane Lopes, na época no (PP), que ficou na segunda colocação. Hoje Cristiane é deputada federal. Muita gente acredita que devido a Leo não ter deixado o comando do Detran-RO seis meses antes das eleições, estaria inelegível. Mas não. Léo tem condições de deixar o comando da pasta até três meses antes, portanto, não é difícil que Léo Moraes esteja entre os concorrentes à sucessão municipal em Porto Velho. Quem viver verá...

Respigo

A disputa pela vereança em Porto Velho promete ser das mais concorridas. É difícil estar em algum lugar, público ou privado, que não tenha um pretendente a uma das 23 cadeiras da Câmara de Vereadores +++ Hoje a câmara da capital é composta de 21 vereadores, mas a partir de 2025 teremos mais duas cadeiras. E já vale para as eleições de outubro próximo +++ O enfermeiro Roberto Dilamite, está na lista de postulantes a uma cadeira de vereador. É pré-candidato pelo Agir em Porto Velho, partido que está federado com o PRTB, que tem o presidente da Assembleia Legislativa (Ale), Marcelo Cruz como pré-candidato a prefeito +++ As atenções políticas estão mesmo todas voltadas para a Rondônia Rural Show Internacional (RRSI) em Ji-Paraná na próxima semana. Hoje (14) pela manhã, nenhuma das Comissões Permanentes da Ale-RO teve quórum.

Fonte: WALDIR COSTA
RD POLITICA ( WC E REDAçãO)