Rússia não atacará países da Otan: “É um disparate”, diz Putin

28 de março de 2024 38

A Rússia não tem planos para nenhum país da OTAN e não atacará a Polônia, os Estados Bálticos ou a República Checa, mas se o Ocidente fornecer caças F-16 à Ucrânia, então estes serão abatidos pelas forças russas, disse o presidente Vladimir Putin na noite de quarta-feira.

Falando aos pilotos da força aérea russa, Putin disse que a aliança militar liderada pelos EUA se expandiu para o leste em direção à Rússia desde a queda da União Soviética em 1991, mas que Moscou não tem planos de atacar um Estado da Otan.

“Não temos intenções agressivas em relação a estes Estados”, disse Putin, de acordo com uma transcrição do Kremlin divulgada nessa quinta-feira, 28 de março. “A ideia de que atacaremos outros países – a Polônia, os Estados Bálticos e os Checos também é um completo disparate. É apenas bobagem.”

Questionado sobre os caças F-16 que o Ocidente prometeu enviar para a Ucrânia, Putin disse que tais aeronaves não mudariam a situação na Ucrânia. “Se eles fornecerem F-16, e estiverem falando sobre isso e aparentemente treinando pilotos, isso não mudará a situação no campo de batalha. E destruiremos as aeronaves assim como destruímos hoje tanques, veículos blindados e outros equipamentos, incluindo vários lançadores de foguetes”, declarou Putin.

“É claro que, se forem usados a partir de aeródromos de terceiros países, tornar-se-ão para nós alvos legítimos, onde quer que estejam localizados”, concluiu o ditador russo.

Os comentários de Putin seguiram-se a comentários feitos no início do dia pelo ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, de que os caças F-16 deveriam chegar à Ucrânia nos próximos meses.

Bélgica, Dinamarca, Noruega e Holanda estão entre os países que se comprometeram a doar F-16. Uma coligação de países prometeu ajudar a treinar pilotos ucranianos na sua utilização.

Na rede social oficial do Kremlim, foram postadas fotos da visita de Putin ao 344° Centro de aplicação de combate e requalificação do estado-maior de vôo (maior da aviação do Exército) do Ministério de defesa da Rússia.

O ditador russo examinou amostras de equipamentos de aeronaves militares, veículos de ataque aéreo e elogiou os novos caças russos SU-57.

Fonte: Redação O Antagonista