Vulcão na costa da África que pode gerar tsunami no Brasil entra em alerta

16 de setembro de 2021 24

Autoridades da Espanha entraram em estado de alerta nesta semana após um vulcão localizado na costa da África começar a dar sinais de atividade. O Cumbre Vieja, que fica na ilha de La Palma, é monitorado por autoridades espanholas e não registra atividade relevante há quase 50 anos. Segundo o último boletim do Instituto Geográfico Nacional do governo da Espanha, publicado por volta das 17h desta quinta-feira, 16, (10h no horário de Brasília), a atividade sísmica na área do vulcão é contínua na região noroeste da Ilha desde o último dia 11. Até a manhã desta quinta, 4,5 mil pequenos tremores de terra tinham sido registrados a cerca de 2 km de profundidade, o mais forte deles tinha 3,4 pontos na Escala Richter. Os terremotos acumularam energia no local e elevaram o solo em mais de 10 centímetros, o que, de acordo com o órgão, sinaliza que o Cumbre Vieja, adormecido há décadas, voltou a dar sinais de atividade.

Membros do Plano Especial de Proteção Civil e Atenção às Emergências de Risco Vulcânico das Ilhas Canárias (Pevolca) elevaram o nível de alerta de erupção de verde para amarelo (fase número dois de quatro) e membros do Instituto Volcanológico de Canárias foram enviados à região para monitorar o que acontece com o Cumbre Vieja. “Nossos funcionários estão tirando amostras de gás do local para estimar a taxa de dióxido de carbono emitido pelo sistema do vulcão”, afirmou o Involcan em publicação nas redes sociais. Projeções científicas feitas na última década pelo Instituto de Geofísica e Física Planetária da Universidade da Califórnia projetaram que, no caso de uma grande erupção do Cumbre Vieja, um grande tsunami pode atingir o oceano atlântico, afetando áreas da África Ocidental e litoral do Reino Unido e causando uma sequência de ondas de até 25 metros de altura nas costas da América do Norte e do Sul, o que afetaria o Brasil.

As chances de uma erupção do tipo ocorrer no momento, porém, ainda são baixas. O nível atual de alerta de erupção do Cumbre Vieja é amarelo, o que, de acordo com o termômetro do Pevolca, significa um aumento da sismicidade com emissão de gases e uma possível erupção sem qualquer risco à população. O próximo nível do “semáforo vulcânico” do órgão é laranja, ainda demonstrando uma erupção sem risco à população, e o último nível é o vermelho, que denuncia riscos à população, casas locais e ao meio ambiente. De acordo com o Programa Global de Vulcanismo do Smithsonian Institution, a última grande erupção do Cumbre Vieja ocorreu no ano de 1971. Na ocasião, nenhum tsunami foi registrado no litoral brasileiro.

 

Fonte: JOVEM PAN