BRASIL 24 X EUA 21 : TIROTEIO NO TEXAS E NA VILA CRUZEIRO: “IGUALDADES & DIFERENÇAS...”

27 de maio de 2022 88

Tiroteios simultâneos, iguais e diferentes, ocorridos, essa semana, no Texas/EUA, em que um Jovem de cerca de 20 anos, munido de dois rifles, adquiridos legalmente em lojas, como quem vai ao supermercado comprar salsichas, invadiu uma escola de crianças, e ceifou 21 pessoas com tiros fatais, aparentemente, fruto de um distúrbio mental, mas, valendo-se da Lei concessiva de armas americana, e, cá no Brasil, a Polícia, em Operação, quase rotineira, de combate ao tráfico, e roubo de cargas, tomou a Vila Cruzeiro do Crime Organizado, no Rio de Janeiro, e arrebatou, até agora, 24 vidas, em placar macabro, comparando as duas situações, em que ganhamos, em numero de mortes, da Superpotência Americana, por três tentos

Casos rotineiros, por motivos, e causas diferentes, obedecem contudo a parâmetros, bem diversos, em que a famigerada violência, de vez em quando, ou quase sempre, invade as salas de aula nos EUA, onde um, dentre milhões de cidadãos americanos, especialmente no Estado Cowboy do Velho Oeste Americano, o Texas, de John Waine e George W. Bush, em que tudo se resolve na bala, como o é, o próprio raciocínio do Governo americano, Mundo a fora, ao invadir países soberanos, Iraque, Líbia ou Ucrânia, o fazem por motivos de liberdade, como  é o direito de porte de arma de todo cidadão americano, cujo Pais, e a sua própria essência, surgiu quando os seus antigos colonos, pegaram em armas, na época facas e ancinhos, para se livrarem do Império Britânico, na base do “In God We Trust”, estampado na própria cédula do dólar estadunidense..

Muito diferente, cá nesses trópicos, a violência, ou a dita violência, geralmente atribuída a Polícia Militar, e as suas coirmãs, Civil e Federal, quase sempre chamados as pressas, como último recurso, para combater, não tão somente, uma Sociedade Injusta, uma Desigualdade Econômica Histórica, não existente nos EUA, em que a “Polícia” serve apenas como um “Muro”, que separa nesse Pais, Pobres de Ricos, ou Pretos de Brancos, podemos ousar dizer, também, Heteros de Homo, Velhos de Novos, e por ai vai, de uma Sociedade propositalmente negligenciada, legislada, para que não funcione, para que gere o sectarismo, fazendo com que uns poucos, internos e externos, melhor administrem, quiça o caos propositado que retém o Pais, no entanto, o que aconteceu na Vila Cruzeiro, e se repetirá, com outros nomes e lugares, faz parte de um modus operandi, em que reina a Não-ética e a Não-moral politicas, que, por acaso, apenas por acaso, ou não, não pertencem, exclusivamente a esse, ou aquele Governo, mas vem sendo um jeito Tupiniquim de Governar.

Isso posto, eu lhes pergunto:

Qual violência preferem, a nossa, ou a deles ?

Enjoy !

Fonte: Por : Pettersen Filho
O GRITO DO CIDADÃO (ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO)

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E COLABORADOR DO SITE QUENOTÍCIAS, É ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO.