Estados Unidos e Espanha anunciam ajuda humanitária milionária ao Afeganistão

13 de setembro de 2021 20

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira, 13, que destinará mais US$ 64 milhões (equivalente a R$ 333 milhões) em ajuda humanitária para o Afeganistão, mas advertiu que o novo regime Talibã tem travado operações de assistência e exigiu que essas missões possam continuar de forma segura. O envio da ajuda humanitária foi anunciado pela embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas (ONU), Linda Thomas-Greenfield, na conferência internacional realizada nesta segunda-feira em solidariedade ao Afeganistão. Segundo ela, a renda será direcionada principalmente ao Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e à Organização Mundial da Saúde (OMS), mas a entrega da ajuda pode ser problemática. “Os talibãs estão obstruindo e interferindo os envios de ajuda, proibindo o trabalho de profissionais mulheres e até mesmo tomando represálias contra pessoas que entregam ou recebem assistência”, advertiu.

De acordo com Thomas-Greenfield, esses atos “são inaceitáveis, desestabilizam o Afeganistão e a região e não podem continuar, pois os trabalhadores humanitários são o melhor das sociedades e precisam fazer seu trabalho vital de forma segura”. Após a “recente transição” de governo no Afeganistão, nas palavras da diplomata, os talibãs precisam manter suas promessas de proteção não somente para os trabalhadores humanitários, mas também para mulheres e meninas. Com a ajuda anunciada nesta segunda, o total destinado pelos EUA à assistência humanitária no Afeganistão neste ano chega a US$ 330 milhões, destacou a embaixadora, que pediu que o resto da comunidade internacional também mostre solidariedade com a difícil situação do povo afegão. Além dos EUA, a Espanha também anunciou um auxílio ao Afeganistão nesta segunda.

De acordo com o ministro das Relações Exteriores da Espanha, José Manuel Albares, o país entregará € 20 milhões (mais de R$ 120 milhões) ao Afeganistão, pelo menos um terço desse valor ainda em 2021. “Não vamos virar as costas a esta crise e o povo afegão deve ter a certeza de que continuaremos trabalhando para que os muitos anos investidos na criação de um futuro melhor para aquele país não tenham sido em vão”, pontuou. Ele lembrou que mais de três milhões de refugiados foram acolhidos nos últimos anos no país europeu. Os anúncios ocorreram em um evento realizado pela ONU em busca de arrecadar mais de US$ 600 milhões (equivalente a R$ 3 bilhões) ao país da Ásia Central, palco de uma crise humanitária após a saída das tropas norte-americanas e o comando do Talibã no local.

Fonte: JOVEM PAN