TIRIRICA É O DEPUTADO DO PL QUE MAIS VOTA CONTRA BOLSONARO

25 de novembro de 2021 238

O deputado federal Tiririca (PL-SP) protagoniza uma situação única dentro do Partido Liberal: dados do Radar do Congresso, ferramenta do Congresso em Foco que compila e qualifica a participação de deputados e senadores apontam que Tiririca é, com alguma vantagem, o parlamentar que mais se opõe ao governo de Bolsonaro dentro do partido – que é um dos partidos com mais assiduidade na Câmara entre as bancadas mais poderosas.

A disparidade ganha contornos ainda mais interessantes quando se lembra que, a partir da próxima terça-feira, o palhaço e o capitão do Exército passarão a dividir o mesmo teto, e estrelar as mesmas campanhas presidenciais em 2022, já que Bolsonaro, atualmente sem partido, acertou sua ida à legenda comandada por Valdemar da Costa Neto.

Apesar de estar em seu terceiro mandato como deputado federal – sempre como um dos mais votados de São Paulo –  Tiririca raramente concede entrevistas à respeito de sua carreira em Brasília. Este ano, o parlamentar apresentou três projetos de lei, todos no mesmo dia. Dois deles tratam da doação de sangue, e um terceiro tratava da vacinação prioritária de profissionais de limpeza.

Ainda hoje, dez anos e nove meses após tomar posse em seu primeiro mandato, o parlamentar divide a atividade representativa com a carreira de humorista.

As atividades às vezes se confundem: no início do mês, Tiririca grava um vídeo no que aparenta ser seu gabinete na Câmara dos Deputados em um dos raros momentos em que aparenta estar em Brasília, de terno e gravata. O objetivo do vídeo, no entanto, não é falar sobre projetos ou discussões públicas, mas sim parodiar uma música em específico: homens que aparentam ser servidores do gabinete do deputado também participam da brincadeira, postada em seu Instagram, para cinco milhões de seguidores.

Outsider no partido

De acordo com o Radar do Congresso, é possível dizer que a postura de Tiririca se distancia da maior parte dos outros 512 membros da Câmara dos Deputados – mais da metade hoje se mantém, para usar a expressão do filho zero-três do presidente, “Firme e Forte Bolsonaro”. O deputado paulista também não integra a oposição: há 123 deputados que votam menos alinhados que ele na Casa: há 64 deles que se alinham com Bolsonaro entre 0 a 25% das vezes, e outros 55 que votaram entre 25% a 50% com o governo desde o início da Legislatura em 2019. Outros quatro votaram entre 50% e 57%).

Mas estes 58% de alinhamento de Tiririca com o governo ficam ainda mais surpreendentes quando se compara com dados do próprio partido: o PL é, entre as legendas com mais deputados, a mais fiel a Bolsonaro na Câmara dos Deputados. Ele é um único ponto que ensaiar uma espécie de oposição dentro do partido – o deputado Valdevan Noventa (SE) é o segundo menos alinhado com o governo no partido mas, com 78% de fidelidade ao governo, ele pode se considerar da base de Bolsonaro.

A média das votações do Partido Liberal aponta um alinhamento de 93% às demandas do governo, sendo menor que apenas a do PSL, partido por onde Bolsonaro se elegeu em 2018 e que ainda concentra a maior parte da sua bancada.

Em algumas das votações mais polêmicas, no entanto, Tiririca tem um histórico misto:  No primeiro turno da PEC dos Precatórios, no dia 4 desse mês, votou sim; no segundo turno, cinco dias depois repetiu a dose. Ele deu seu parecer favorável às alterações do Ministério Público (que acabou fracassando, com 297 votos), mas foi contrário às privatizções dos Correios e da Eletrobras, além de ter votado não contra o voto impresso.

Fonte: CONGRESSO EM FOCO/GUILHERME MENDES