A necessária audiência pública sobre a BR 364, expectativa sobre renovação na Assembleia Legislativa, “chuva” de pré-candidatos na região de Cacoal

29 de abril de 2022 36

BR 364 – É da maior importância que a audiência pública proposta pelo presidente da Assembleia Legislativa (Ale), deputado Alex Redano (PRB-Ariquemes), que foi adiada em razão de problemas de última hora, devido a não confirmação de representantes, do Departamento Nacional de Infraestrutura-Dnit, que seria realizada no último dia 14 na sede de o legislativo, ocorra o mais breve possível. Houve o adiamento, não o cancelamento, mas é fundamental, que aconteça a audiência, pois já estamos no verão amazônico (seca), quando durante meses, pouco chove na região. O período é adequado para reparar os estragos, que foram causados durante os meses de chuvas fortes e quase que diárias.  

Restauração – A discussão sobre os problemas da 364, a mais importante rodovia federal de Rondônia deve ganhar corpo. Durante o período de safras de grãos (soja, milho, café) transitam diariamente pelo trecho Porto Velho a Vilhena, de aproximadamente 700 quilômetros, média de 2,5 mil veículos pesados (carreta, bitrens, treminhão) e o alicerce da década de 80, não tem suporte para a demanda. Além da segurança, que é um dos maiores problemas da 364, no trecho citado, conhecido como “Corredor da Morte”, há o fator economia, pois as safras de grãos de Rondônia, que aumenta a cada ano e de parte do Mato Grosso são exportadas pelo porto graneleiro do rio Madeira, em Porto Velho. Isso representa divisas econômicas para o Estado e ao País. Buscar solução para a BR 364 não é somente a questão de acidentes, a maioria deles com óbito, mas também de economia macro. Não basta tapar buracos é necessária a reconstrução do trecho e uma posterior duplicação.  

Assembleia – Há quem aposte, que teremos em torno de 60% de renovação na Assembleia Legislativa (Ale), após as eleições gerais de outubro próximo, quando serão eleitos presidente da República, govenadores e vices; uma das três vagas ao Senado de cada Estado e Distrito Federal, Câmara Federal e Assembleias Legislativas. Os deputados Eurípedes Lebrão (União Brasil) e Anderson Pereira (PRB-PVH) são pré-candidatos à Câmara Federal e Alex Silva (PRB-PVH), pelo que se comenta, teria “pendurado as chuteiras” na política e Geraldo da Rondônia (PSC-Ariquemes) está inelegível. Dos 24 parlamentares da atual legislatura, que estão na ativa, 4 já estariam fora da reeleição.  

Assembleia II – A legislatura atual (2019 – 2023) teve muito mais que 24 deputados durante os pouco mais de três anos de mandato. Foram 28 parlamentares, por enquanto. Também deixaram as cadeiras Adailton Fúria (PSD-Cacoal), que se elegeu prefeito da sua cidade em 2020 e renunciou. Aélcio da TV (PP-PVH), foi cassado por abuso de poder econômico, Edson Martins (MDB-Urupá), cassado por improbidade administrativa e Saulo Moreira (PDT-Ariquemes), cassado por crime eleitoral. Como quem foi cassado não estará participando das eleições de outubro próximo, por impedimentos legais, e Fúria, porque renunciou, certamente a renovação no parlamento estadual estará entre 60% a 70%.  

Candidatos – Segundo o jornalista Antônio Perin, de Cacoal, decano da imprensa regional, na sua coluna semana no jornal “Tribuna Popular”, de sua propriedade, como teremos eleições este ano, já há uma “chuva” de pretendentes a cargos eletivos se declarando identificados com o município. Pelos dados levantados, há cerca de 15 pré-candidatos a deputado federal, 20 ao parlamento estadual e em torno de quatro ao Senado. Perin alertou, que este ano as cobranças serão contundentes aos candidatos, que só aparecem de quatro em quatro anos prometendo o paraíso. Hoje Cacoal tem somente o deputado Cirone Deiró (União Brasil) na Ale-RO. Em 2018 também foi eleito Adailton Fúria (PSD), que renunciou, porque foi eleito prefeito em 2020. Certamente os chamados “paraquedistas” terão dificuldades, para conseguir votos em Cacoal, devido à grande quantidade de pré-candidatos e a pressão popular para eleger políticos do município.  

Respigo  

A nossa atuante e eficiente polícia de elite, a Federal, realiza desde as primeiras horas da manhã de hoje (28) a Operação Adamas direcionada ao combate do contrabando de diamantes com a participação de 30 elementos. Os trabalhos estiveram concentrados em Guajará-Mirim e Ariquemes com sete mandatos de busca e apreensão envolvendo servidor estadual, advogado e empresários +++ O que se comenta nos bastidores é que será realizada ação-monstra envolvendo o segmento político e empresarial na capital e em cidades do interior, ainda, esta semana. Quem tem culpa no cartório poderá receber visita inesperada logo cedo para o café da manhã... +++ A conservação dos trechos das avenidas Jorge Teixeira e Imigrantes em Porto Velho é de responsabilidade do Dnit, porque são partes da rodovia BR 319. Recentemente foram realizados trabalhos de recapeamento, mas em vários locais, buracos já estão abertos colocando em risco o tráfego de veículos pesados, que têm como destino os portos graneleiro e de combustíveis no rio Madeira.

Fonte: WALDIR COSTA
RD POLITICA ( WC E REDAçãO)