Advogado diz que brasileiro não tem conhecimento político, tarifa do ônibus-circular continua a R$ 3 em Porto Velho; eleições sem coligações, mas com federações

14 de janeiro de 2022 145

Política – O advogado Caetano Neto, presidente da Associação de Defesa dos Direitos da Cidadania (ADDC), bate numa tecla que merece ser analisada com mais responsabilidade pelas nossas autoridades. Segundo o Dr. Caetano o brasileiro é nulo em conhecimento político e por isso, acredita no que diz a maioria dos políticos. O eleitor brasileiro, explica o advogado, não aprende política na escola, como no Japão, onde se o político mentir, pode ser preso. No Brasil, o povo acredita nas promessas dos políticos, porque não tem o mínimo de noção do que é política, por isso não sabe cobrar, vota praticamente sem saber o porquê, e barganha o voto como se fosse uma mercadoria. Realmente a política é fundamental, essencial, necessária, mas quando exercida na sua plenitude, o que não ocorre em nosso País. 

Eleições – O tempo passa rápido e já estamos findando a primeira quinzena de janeiro de 2022, ano das eleições gerais. Em outubro próximo os brasileiros estarão votando para escolha do presidente da República e governadores, além dos respectivos vices; uma das três vagas de cada Estado e do Distrito Federal ao Senado, Câmara Federal e Assembleias Legislativas. Já estamos a menos de oito meses das eleições, que terão o primeiro turno no dia 2 de outubro e, onde for necessário o segundo turno, no último domingo de outubro, dia 30.  

Janela – Ainda com relação as Eleições 2022 o período da Janela Partidária, que será de 3 de março próximo a 1º de abril é o assunto predominante nos bastidores da política. É que deputados estaduais, distritais e federais poderão mudar de partido sem apresentar justificativas, para concorrer às eleições majoritárias e proporcionais de outubro. Os deputados, caso deixem o partido não sendo no período da janela poderão perder o mandado. Em Rondônia temos a situação do deputado estadual Lazinho da Fetagro, de Jaru, eleito pelo PT, que está deixando o partido para se filiar, provavelmente ao PSB, presidido no Estado pelo deputado federal Mauro Nazif. Assim como Lazinho, outros parlamentares deverão buscar novas siglas para concorrer às eleições deste ano.  

Federações – Nas eleições 2022 teremos as federações partidárias, que são alianças, como ocorriam com as coligações, mas com diferenças significativas. As coligações apresentavam variações de Estado para Estado, já a federação é nacional. As coligações serviam para a disputa eleitoral, porém as federações servem para as eleições e também para o funcionamento parlamentar dos partidos envolvidos nos quatro anos subsequentes. A finalidade maior é formar amplas frentes nacionais, além de reduzir a fragmentação partidária no Congresso Nacional. É a novidade das Eleições 2022.  

Ônibus – O transporte coletivo urbano de Porto Velho, que deveria voltar a custar para o usuário R$ 4,05 a partir do primeiro dia deste ano foi mantido pelo prefeito Hildon Chaves (PSDB) a R$ 3, desde que a pessoa tenha o cartão COM Card. Decreto municipal publicado no último dia 7, diz que “fica estabelecido o valor da tarifa pública de R$ 3 do serviço essencial de Transporte Coletivo no perímetro urbano no município de Porto Velho a partir de 1º de janeiro de 2022”. No mês de abril de 2021, Hildon com apoio do legislativo municipal, devido a pandemia, publicou decreto garantindo a gratuidade da tarifa de 10 de abril a 9 de maio; depois para R$ 1, R$ 2 e, em dezembro R$ 3. A partir de janeiro o preço retornaria a R$ 4,05, mas o novo decreto manteve a tarifa a R$ 3 com a apresentação do cartão COM Card. No mínimo Hildon demonstra ser coerente, pois a situação do trabalhador comum, que mais utiliza o transporte coletivo continua difícil devido a pandemia.  

Respigo  

A colheita da soja em algumas regiões de Rondônia tem início neste mês de janeiro. A maioria das rodovias estaduais, as ROs, estão em condições de suportar a demanda de veículo no transporte da produção, o que é a garantia para o bom escoamento da safra +++ O mesmo não se pode dizer da BR 364, a mais importante rodovia federal pavimentada em Rondônia. A maior parte da produção da soja depende da 364, que é o caminho para o porto graneleiro de Porto Velho, no rio Madeira, para exportação +++ Hoje a BR já não tem condições de trânsito seguro. Problema que deverá se agravar com o movimento intenso (cerca de 2,5 mil veículos/dia) de carretas, bitrens e treminhões em razão da safra da soja +++ Há tempos a BR 364 precisa de melhorias, inclusive restauração, porque tapa-buracos é um paliativo. Como tem chovido muito no atual período de inverno amazônico a expectativa, negativa, é que a 364 em breve será tomada pelos buracos, porque o alicerce, da década de 80 não suporta o volume de tráfego dos veículos pesados de hoje +++ Lamentável, pois nossa bancada federal continua inoperante na luta pela restauração e posterior duplicação da 364. E durma-se com um barulho desses...  

Fonte: WALDIR COSTA
RD POLITICA ( WC E REDAçãO)