Atlético na Libertadores: análise da derrota para o Peñarol

15 de maio de 2024 30

O Atlético-MG, comandado por Gabriel Milito, enfrentou sua primeira derrota na Conmebol Libertadores e do técnico argentino a frente do Galo  após uma sequência de 12 jogos invictos.

O Peñarol recebeu o time brasileiro no Campeón del Siglo e venceu por 2 a 0, deixando lições importantes para o time alvinegro.

Em uma noite onde o Atlético-MG esperava manter sua invencibilidade, o Galo encontrou um Peñarol bem organizado defensivamente. O time uruguaio, aplicando uma estratégia de contra-ataque, conseguiu neutralizar as principais armas ofensivas do Galo, especialmente nas laterais, onde Saravia e Arana geralmente são muito ativos.

Atlético-MG perde a primeira na Libertadores

O treinador Gabriel Milito optou por iniciar a partida com Jemerson no lugar de Gustavo Scarpa, buscando maior solidez defensiva.

No entanto, a falta de criatividade no meio-campo destacou-se como um ponto fraco, que o Peñarol soube explorar muito bem ao longo do jogo.

A defesa sólida do Peñarol, anulou praticamente todas as tentativas do Atlético de penetrar pela lateral.

Somadas a falta de eficácia ofensiva do Atlético, apesar de dominar a posse de bola, o Galo terminou o jogo com apenas uma finalização certa contra o gol do Peñarol.

Dois gols de bola parada do Peñarol, ambos aproveitando rebotes em falhas da defesa do Galo.

Lições pós derrota

A derrota por 2 a 0 destaca a necessidade do Atlético-MG em adaptar-se a equipes que optam por uma postura mais defensiva.

A incapacidade de criar oportunidades claras de gol e a vulnerabilidade em bolas paradas são aspectos que Milito necessita abordar nos próximos treinamentos.

Projeções para o futuro do Atlético na Libertadores

Apesar do revés, o cenário para o Atlético-MG não é desanimador.

O time possui qualidade e com ajustes táticos, tem tudo para avançar na Libertadores.

Será essencial aprender com os erros deste jogo para superar equipes que utilizam estratégias semelhantes às do Peñarol no futuro.

Após a partida, a torcida mostrou apoio ao time e confiança no trabalho de Gabriel Milito, reforçando a crença no projeto a longo prazo que o treinador vem implantando no clube.

Conclusão

Embora a derrota tenha interrompido uma sequência positiva, ela serve como um lembrete e aprendizado para a equipe.

Ajustes são necessários para que o Atlético-MG continue a sua jornada na Libertadores com a mesma força e determinação vistas anteriormente.

A primeira derrota em 13 jogos não abala o moral da equipe.

O foco agora é aprender com os erros e preparar-se para as próximas partidas da competição.

O apoio da torcida será crucial para a recuperação e motivação do time.

Fonte: Redação O Antagonista