Biden faz ataque econômico a China na tentativa de reverter quadro ruim em pesquisas eleitorais

14 de maio de 2024 37

Novas medidas impactam US$ 18 bilhões em bens importados chineses; Casa Branca fala em práticas chinesas injustas com mercadorias baratas

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, revelou nesta terça-feira (14) um pacote de grandes aumentos de tarifas sobre uma série de importações chinesas, incluindo veículos elétricos, chips de computador e produtos médicos, arriscando um impasse em ano eleitoral com Pequim em uma tentativa de cortejar eleitores que atribuem notas baixas às suas políticas económicas.

Biden manterá as tarifas impostas pelo seu antecessor republicano, Donald Trump, enquanto aumentará outras, disse a Casa Branca num comunicado, citando “riscos inaceitáveis” para a “segurança económica” dos EUA, representados pelo que considera práticas chinesas injustas que estão a inundar os mercados globais com mercadorias baratas.

As novas medidas impactam US$ 18 bilhões em bens importados da China, incluindo aço e alumínio, semicondutores, baterias, minerais essenciais, células solares e guindastes, disse a Casa Branca. O anúncio confirmou reportagens anteriores da Reuters.

Os Estados Unidos importaram US$ 427 mil milhões em bens da China em 2023 e exportaram US$ 148 mil milhões para a segunda maior economia do mundo, de acordo com o Gabinete do Censo dos EUA, uma lacuna comercial que persiste há décadas e se tornou um assunto cada vez mais sensível em Washington.

“A China está a utilizar o mesmo manual de antes para impulsionar o seu próprio crescimento à custa de outros, continuando a investir, apesar do excesso de capacidade chinesa e da inundação dos mercados globais com exportações que estão subvalorizadas devido a práticas injustas”, disse a Conselheira Económica Nacional da Casa Branca, Lael Brainard, aos repórteres em uma teleconferência.

Mesmo quando as medidas de Biden se alinharam com a premissa de Trump de que se justificam medidas comerciais mais duras, o democrata mirou no seu adversário nas eleições de Novembro .

A Casa Branca disse que o acordo comercial de Trump com a China em 2020 não aumentou as exportações americanas nem impulsionou os empregos industriais americanos, e disse que as tarifas generalizadas de 10% sobre produtos de todos os pontos de origem que Trump propôs frustrariam os aliados dos EUA e aumentariam preços. Trump impôs tarifas de 60% ou mais sobre todos os produtos chineses.

Autoridades do governo disseram que suas medidas são “cuidadosamente direcionadas”, combinadas com investimento interno, planejadas com aliados próximos e que provavelmente não piorarão um surto de inflação que já irritou os eleitores dos EUA e colocou em risco a candidatura à reeleição de Biden.

Eles também minimizaram o risco de retaliação por parte de Pequim.

Biden tem lutado para convencer os eleitores da eficácia das suas políticas económicas, apesar de um cenário de baixo desemprego e de crescimento económico acima da tendência.

Uma pesquisa Reuters/Ipsos do mês passado mostrou que Trump tinha uma vantagem de 7 pontos percentuais sobre Biden na economia.

Conflito comercial

Analistas alertaram que um conflito comercial poderia aumentar os custos dos VE em geral, prejudicando os objetivos climáticos de Biden e o seu objetivo de criar empregos na indústria.

Biden disse que quer vencer esta era de competição com a China, mas não lançar uma guerra comercial que possa prejudicar as economias mutuamente dependentes.

Ele trabalhou nos últimos meses para aliviar as tensões em conversações individuais com o presidente chinês, Xi Jinping.

Ambos os candidatos presidenciais dos EUA em 2024 afastaram-se acentuadamente do consenso de comércio livre que outrora reinou em Washington, um período culminado pela adesão da China à Organização Mundial do Comércio em 2001.

A China disse que as tarifas são contraproducentes e correm o risco de inflamar as tensões.

A imposição mais ampla de tarifas por Trump durante a sua presidência 2017-2021 deu início a uma guerra tarifária com a China.

CNN

Fonte: Por Terra Brasil Notícias