Dívidas com bancos e cartão de crédito chegam ao menor patamar do ano, aponta Serasa

25 de outubro de 2023 77

As contas com bancos e cartão de crédito tiveram uma queda de 0,31 pontos percentuais entre agosto e setembro, passando de 29,2% das pendências financeiras no Brasil para 28,9%. Esse é o menor volume do ano, que já chegou a 31,9% em maio. É o que aponta a mais recente edição do Mapa da Inadimplência e Renegociação de Dívidas da Serasa, com dados do mês de setembro de 2023.

O levantamento também registrou queda de 0,64 p.p. no setor das contas básicas de água, luz e gás, que passou de 24,4% para 23,8%. Já o número de brasileiros inadimplentes teve leve alta em setembro. Foram 71,8 milhões contra 71,7 milhões em agosto, uma variação de 0,12%. Desse total, 50,4% são mulheres e 49,6% são homens. As faixas etárias mais afetadas foram de 41 a 60 anos de idade (34,9%) e de 26 a 40 anos de idade (34,5%).

As contas com bancos e cartão de crédito tiveram uma queda de 0,31 pontos percentuais entre agosto e setembro, passando de 29,2% das pendências financeiras no Brasil para 28,9%. Esse é o menor volume do ano, que já chegou a 31,9% em maio. É o que aponta a mais recente edição do Mapa da Inadimplência e Renegociação de Dívidas da Serasa, com dados do mês de setembro de 2023.

As contas com bancos e cartão de crédito tiveram uma queda de 0,31 pontos percentuais entre agosto e setembro, passando de 29,2% das pendências financeiras no Brasil para 28,9%. Esse é o menor volume do ano, que já chegou a 31,9% em maio. É o que aponta a mais recente edição do Mapa da Inadimplência e Renegociação de Dívidas da Serasa, com dados do mês de setembro de 2023.

O levantamento também registrou queda de 0,64 p.p. no setor das contas básicas de água, luz e gás, que passou de 24,4% para 23,8%. Já o número de brasileiros inadimplentes teve leve alta em setembro. Foram 71,8 milhões contra 71,7 milhões em agosto, uma variação de 0,12%. Desse total, 50,4% são mulheres e 49,6% são homens. As faixas etárias mais afetadas foram de 41 a 60 anos de idade (34,9%) e de 26 a 40 anos de idade (34,5%).

Fonte: ISTO É DINHEIRO