Dobradinha Hildon/Júnior em 2022, eleições em segundo turno são inevitáveis em Rondônia, equilíbrio eleitoral entre os nomes cotados à sucessão estadual

13 de novembro de 2021 325

Eleições – Estão ampliando os comentários nos bastidores da política sobre a possível mudança de partido do prefeito-reeleito de Porto Velho, Hildon Chaves, que estaria deixando o PSDB, a exemplo do amigo e padrinho político, ex-senador Expedito Júnior. Hildon é um nome expressivo na disputa do governo do Estado nas eleições gerais de outubro do próximo ano, que, além de governador também elegerão o presidente da República, uma das três vagas ao Senado de cada Estado e do Distrito Federal, além de Câmara Federal e Assembleias Legislativa. Somente prefeitos e vereadores não serão votados no próximo ano.

Governador – Na relação de nomes em condições de se eleger governador, o de Hildon está entre os favoritos, pois já demonstrou que é bom de voto e sua força popular é no maior colégio eleitoral do Estado, o município que governa no segundo mandato, que deve superar o número das eleições de 2020, que foi superior a 330 mil eleitores. Sem Expedito, que sempre foi um líder tucano no Estado, mesmo estando sem mandato eletivo desde 2009, quando foi cassado, após acusação de comprar de votos e assumindo em seu lugar Acir Gurgacz (PDT), que foi reeleito em 2014, caso se confirme a saída de Hildon, o PSDB ficará sem um nome de ponta para disputar o governo do Estado.  

Eleições – A exemplo das eleições municipais de 2020 (prefeito e vereadores), as gerais de 2022 não terão coligações. Caso Hildon “bata asas” do ninho tucano, como se comenta, e assine ficha de filiação ao PSD, partido presidido no Estado pelo deputado federal, Expedito Netto, filho de Júnior poderemos ter uma dupla de enorme potencial eleitoral. Basta que Expedito Júnior mantenha sua posição de concorrer ao Senado, onde as chances de sucesso são amplas e contar com Hildon Chaves candidato à sucessão estadual e teremos uma dupla difícil de ser batida.  

Segundo turno – Na condição de 50% dos nomes cotados para concorrer às eleições a governador de 2022 registrarem candidaturas mais uma vez teremos segundo turno em Rondônia. O ex-governador Ivo Cassol (PP) está consolidando sua condição de elegível e é sempre um nome favorito à sucessão estadual no próximo ano. O governador Marcos Rocha, que deve presidir o União Brasil no Estado vem se preparando com muita cautela e organização a sua reeleição. Sua administração há meses vem crescendo gradativamente. O ex-prefeito de Ji-Paraná e ex-deputado estadual, Jesualdo Pires (PSB) está na relação de favoritos. Também estão na lista o presidente do Podemos e deputado federal Léo Moraes e o senador Marcos Rogério, que presidia o DEM em Rondônia, que, caso não seja ministro ou ocupe cargo equivalente no governo federal poderá concorrer a governador.  

Vereadores – Um grupo de vereadores de Rio Crespo está participando esta semana do curso de “Cerimonial, Protocolo e Normas de Comportamento”, com 20 horas/aula de duração na Escola do Legislativo, que pertence à Assembleia Legislativa (Ale). Os vereadores Elisama Barros de Souza (MDB), Giltamar Pereira (PRB), Hiago Gavioli (MDB), José Carlos (PP), Odair (Mano) Rodrigues (PSD) e Rose Miranda Muchinski (PSD) mantiveram contato com o diretor-geral da escola, Fábio Ribeiro e conheceram a estrutura do local, que prioriza a capacitação do servidor público e mantém parcerias com as câmaras municipais, prefeituras e demais órgãos públicos, inclusive federal e estadual.  

Respigo  

Estamos em pleno verão amazônico (chuvas) e chove praticamente todos os dias na região. A BR 364, principal rodovia federal que corta o Estado de Rondônia a cada dia aumenta os buracos na pista e compromete a circulação segura dos veículos +++ A rodovia foi construída na década de 80. O alicerce não suporta o volume de tráfego atual e muito menos o peso das carretas, bitrens e treminhões +++ Tudo contribui para número elevado de acidentes, a maioria com vítimas fatais. Até quando a política corrupta do tapa-buracos vai prevalecer? +++ Não adianta tapar os buracos no verão, quando não chove praticamente seis meses. É necessário reconstruir o alicerce no trecho entre Vilhena a Porto Velho, com cerca de 700 quilômetros +++ Há tempo não se comenta nos bastidores da política regional a possibilidade de o prefeito-reeleito de Vilhena, Eduardo Japonês (PV) concorrer a deputado federal nas eleições de outubro do próximo ano. Teria desistido da empreitada rumo à Câmara Federal? +++ Hoje Japonês e o deputado estadual Luizinho Goebel, também do PV são as duas maiores lideranças políticas de Vilhena. O deputado estadual Ezequiel Neiva (PTB) também tem um bom espaço no Cone Sul região onde se destaca Vilhena +++ Os Donadon há tempos vem perdendo espaços na política regional no Cone Sul. Hoje somente a deputada estadual Rosangela Donadon (PDT) tem mandato eletivo. 

Fonte: WALDIR COSTA
RD POLITICA ( WC E REDAçãO)