General como vice de Bolsonaro libera o Centrão para lhe dar adeus

27 de junho de 2022 89

O consórcio dos partidos mais fisiológicos com representação no Congresso perdeu a batalha pela indicação do candidato a vice na chapa de Bolsonaro. Quis emplacar um nome que acrescentasse votos a um presidente sem votos suficientes para se reeleger.

Bolsonaro preferiu, como anunciou ontem à noite, escolher outro general para vice – Walter Braga Neto, seu cão de guarda fiel, aprovado por ele como chefe da Casa Civil da presidência da República e, mais tarde, como ministro da Defesa.

A candidata a vice do Centrão era a deputada Tereza Cristina (PP-MS), ex-ministra da Agricultura. Ela tem votos, Braga Neto, não. Militar que votasse em Bolsonaro não deixaria de votar se o vice fosse um paisano. Bolsonaro, porém, rendeu-se ao próprio medo.

Ele enxerga inimigos em toda parte. Usa o medo como arma afiada para atingir os adversários, mas ao mesmo tempo é vítima do medo. Desconfia da sombra, só confia em um grupo rarefeito de pessoas. E, embora o Centrão o apoie, não confia no Centrão.

Um general de vice, no entendimento dele, é um seguro de vida contra um eventual pedido de impeachment. Como foi o general Hamilton Mourão, atual vice e agora candidato ao Senado. Bolsonaro reconhece que sem Mourão poderia ter sido derrubado.

Não está errado. Político teme quem usa a farda, e se tirasse Bolsonaro do poder teria que engolir um milico, e logo da linha dura. Golpista por golpista, o menos ruim seria aturar Bolsonaro que deu ao Congresso o Orçamento Secreto. Mourão não daria.

Foi Braga Neto como ministro da Defesa quem despachou para casa os Comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica que resistiam ao projeto golpista de Bolsonaro, trocando-os por outros mais dóceis. Ali, ele passou no teste definitivo para ser vice.

O Centrão está liberado, portanto, para deixar Bolsonaro de mão. Não o fará com estardalhaço, não é seu estilo, mas com discrição por acreditar que ele não terá chances de se reeleger.

Fonte: METRÓPOLES/RICARDO NOBLAT