Juliano Medeiros, do PSOL, sobre Petrobras: Não é “intervencionismo x neoliberalismo” é “fortalecimento x desmonte”

22 de fevereiro de 2021 2

Em um tuíte, o presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, desmontou as bravatas de Jair Bolsonaro (Sem partido), que busca dar um tom patriótico à intervenção na presidência da estatal, enquanto promove o desmonte da companhia e a venda de empresas controladas por ela, como a Braskem e a rede de refino e distribuição.

“Sobre o debate em torno da política de preços da Petrobrás: o debate ‘intervencionismo x neoliberalismo’ é impreciso. A questão é o papel das estatais para o desenvolvimento nacional. O debate, portanto, deveria ser ‘fortalecimento x desmonte’. É aí que as diferenças aparecem”, afirmou Medeiros.

Responsável pela política neoliberal que fez com que a empresa seguisse a política de paridade internacional do petróleo, que resultou em sucessivos aumentos dos combustíveis, Bolsonaro agora quer culpar exclusivamente o presidente demissionário da Petrobras, Roberto Castello Branco, que será substituído pelo general Joaquim Silva e Luna.

“Dia 20 de março encerra a vigência do prazo do atual presidente. É direito meu reconduzi-lo ou não. E ele não será reconduzido. Qual o problema? É sinal que alguns do mercado financeiro estão muito felizes com a política que só tem um viés na Petrobras: atender interesses próprios de alguns grupos do Brasil. Nada mais além disso”, afirmou Bolsonaro a um grupo de apoiadores no Palácio da Alvorada na manhã desta segunda-feira (22).

 

Fonte: REVISTA FORUM/PLÍNIO TOLEDO