PF investiga ameaças ao presidente do União Brasil

7 de maio de 2024 180

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 7, a Operação Stasis para investigar as ameaças sofridas pelo presidente do União Brasil, Antonio Rueda (foto, à esquerda).

Por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), os agentes da PF foram às ruas cumprir cinco mandados de busca e apreensão no interior de Pernambuco.

As investigações tiveram início na Polícia Civil do Distrito Federal, mas, com declínio da competência para o STF, por envolverem o deputado federal Luciano Bivar (União-PE), as apurações ficaram a cargo da Polícia Federal.

Rueda acusa Bivar

Rueda acusou Bivar de ameaçá-lo de morte durante a disputa pelo comando da sigla. Em março, o partido aprovou a abertura de um processo de expulsão de Bivar.

“O Luciano Bivar fez ameaças a minha pessoa e a minha família. Ele me ameaçou de morte e ameaçou familiares meus. Por telefone”, afirmou o novo presidente do União Brasil.

Como deputado, Bivar tem foro privilegiado e, por isso, a Polícia Civil do DF mandou a representação para o Supremo.

Incêndio nas casas da família Rueda

A defesa de Rueda também pediu que o deputado seja investigado por suposto envolvimento no incêndio que destruiu duas casas da família do novo presidente do partido, no litoral de Pernambuco. Desde que o caso veio à tona, Bivar tem negado as acusações.

Os advogados afirmam que há uma “pluralidade de indícios” que ligam Luciano Bivar ao incêndio“ainda que não se possa afirmar solenemente a autoria do deputado no caso”. Para a defesa, o episódio “revela a escalada da violência política”.

“Ele [Rueda] está realmente escandalizado com a escalada nesse contexto de violência política. [Esse contexto] se inicia com ameaças que se repetem e agora, ao que tudo sugere, eu não posso afirmar categoricamente, mas esses dois incêndios que escalam gravemente essa crise”, disse o advogado de Rueda, Paulo Catta Preta.

Fonte: Redação O Antagonista