Porto Velho discute trânsito em audiência pública, capital não tem estacionamento regulamentado, Ji-Paraná comemora 44 anos

18 de novembro de 2021 84

 Ji-Paraná – Os 44 anos de emancipação político-administrativa do município, que serão comemorados na segunda-feira (22) tem uma ampla programação social, cultural e esportiva com início no domingo (21) e complemento segunda-feira. No domingo, das 14h às 19h evento sobre a Consciência Negra no Ginásio da Esportes Gerivaldão; das 16h às 18h jogo de futebol entre Ji-Paraná e Sena Madureira no Estádio Biancão, das 20h às 22h solenidade de abertura com jogo da amizade no Gerivaldão entre Ji-Paraná e Sena Madureira e às 20h30 show Swing Bom no Beira Rio Cultural. As comemorações prosseguem na segunda-feira com o Pedala Ji-Paraná a partir das 6h com concentração no estacionamento da prefeitura e a partir das 18h30 show com o cantor gospel Fernandinho, no Beira Rio Cultural.  

Visita – A ex-vereadora de Porto Velho, ex-deputada estadual Nilce Casara esteve na manhã de hoje (18) na sede da Escola do Legislativo, que pertence à Assembleia Legislativa (Ale) em Porto Velho e manteve contato com o diretor-geral, Fábio Ribeiro. Nilce já foi política das mais atuantes na capital e hoje não participa mais das atividades. Ela é sempre muito bem recebida por onde passa. A escola dos deputados oferece semanalmente cursos para os servidores públicos da Casa do Povo e também das câmaras de vereadores, prefeituras e demais segmentos públicos federal, estadual e municipal. Os cursos são gratuitos e as vagas excedentes são oferecidas à comunidade.  

Reconhecimento – A superintendente da Sudam, Louise Caroline Campos, ao visitar a diretoria da Rede TV! Rondônia em Porto Velho elogiou o trabalho do jornalista, José Luiz Alves, pelo seu conhecimento na área do agronegócio na região amazônica, divulgando o desenvolvimento no campo com informações equilibradas mostrando, que agricultura pode produzir riquezas sem prejuízos ao meio-ambiente, com tecnologia e respeito às culturas regionais. Louise Campos revelou, que conhece as questões que envolvem desenvolvimento econômico e social da Amazônia apresentando propostas concretas, aos governantes, técnicos e empresários interessados em investir na região, recuperando as áreas antropizadas (onde as características originais foram alteradas) sem que seja necessário derrubar uma árvore. O bom trabalho do José Luiz Alves, que mantêm a coluna semanal “Campo e Lavoura” no portal RONDÔNIA DINÂMICA ultrapassa as fronteiras do Estado. 

Trânsito – Porto Velho tem um trânsito violento, confuso, de sinalização deficiente, fiscalização inexistente e orientação zero. Semáforos são ignorados e os motoqueiros, não os poucos motociclistas, não respeitam semáforos, preferencial, faixas de pedestres. O Pronto Socorro João Paulo II está constantemente com excesso de lotação e com pessoas sendo atendidas em macas nos corredores, devido ao volume excessivo de acidentes na capital. Hoje (18) estará sendo realizada audiência pública (online) para discutir com a população o Plano Municipal de Mobilidade Urbana a partir das 19h. para participar é necessário acessar ao link disponível na página da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran).  

Trânsito II – A Semtran precisa realmente organizar o trânsito de Porto Velho, inclusive com melhor aproveitamento dos Agentes de Trânsito, que pouco contribuem para melhorá-lo. A orientação, organização e presença física em locais de maior movimentação são fundamentais. Não basta um talão de multas em mãos. Parcerias com a Polícia Militar é fundamental, assim como a necessidade de regulamentação dos locais de estacionamento na área central da capital e nos locais de maior movimentação, como as zonas Leste e Sul. É importante a participação na audiência pública, opinando, cobrando e buscando meios e formas de melhorar o sistema de trânsito de Porto Velho, que é péssimo, além de violento.  

Respigo  

A Prefeitura de Porto Velho deve rever a situação dos moradores do bairro Nova Porto Velho, mais os das ruas Buenos Aires e Venezuela. As ruas receberam recapeamento recentemente, de ótima qualidade, mas a pista ficou mais alta e a água, neste período de chuvas fortes empossam nas calçadas +++ Os moradores têm dificuldades para entrar e sair das residências e os veículos problemas para acessar as garagens. A informação é que existe galeria pluvial no local, mas está obstruída e necessita de um amplo trabalho de recuperação +++ Os usuários do transporte coletivo de Porto Velho continuam cobrando da prefeitura melhores abrigos nas paradas de ônibus. Os dois existentes nas duas pistas da Avenida Rio Madeira, em frente ao Colégio Tiradentes, continuam sem coberturas e bancos, um absurdo.  

 

 

Fonte: WALDIR COSTA
RD POLITICA ( WC E REDAçãO)