NOÇÕES DE POLITICA - HUMBERTO PINHO DA SILVA

OS MALEFÍCIOS DA NOVELA

  " Na Carta de Guia", escreve D. Francisco Manuel de Melo, que viajando por terras de Espanha, foi parar a hospedaria, onde a dona e suas filhas, tão elevadas estavam numa novela, que não foram capazes de o receber. Não encontrou melhor remédio, se não procurar outra estalagem. De re...

FALEMOS DE "COTAS"

  Quando foi implantado, no Brasil, cotas para facilitar indivíduos de origem africana a ingressarem no ensino superior – diria raça, se não fosse politicamente incorrecto, – ergueram-se muitas vozes discordantes. Uma, foi a minha. Modesta, sim, mas sincera, na imprensa brasileira, portug...

A INTERNET E OS IDOSOS

Durante anos frequentei assiduamente a Casa da Beira - Alta, no Porto, e participei nos almoços de confraternização, que se realizavam mensalmente. Numa quarta-feira – fria e chuvosa, – sentei-me junto a cavalheiro, de meia-idade, que logo entabulou conversa. Vivia no Porto, mas tinha vinh...

O COMPLEXO DE INFERIORIDADE DO PORTUGUÊS

Na nossa terra, neste bonito jardinzinho plantado junto ao Atlântico, varanda florida sobre o mar azul, o povo é hospitaleiro e subserviente, acocorando-se diante de quem vem de fora, mormente de carteira recheada. Quando faleceu Rebelo da Silva, Ramalho, referindo-se ao seu Portugal, escreveu:...

UM GRANDE JORNALISTA PORTUGUÊS: PEDRO CORREIA MARQUES

  Na primeira metade do século XX, floriram, em Portugal, vários jornais, muitos de carácter ideológico; com eles, notáveis jornalistas, que deram brado e ficaram na História do Jornalismo português. Entre eles, destaca-se Pedro Correia Marques, que foi redator de: "A Época" e chefe da r...

UM GESTO NOBRE

Andava embebedo em velhos e poeirentos catarpácios, em busca de assunto interessante para levar aos meus leitores, quando deparo com antigo jornal, publicado em 1905 – 4 de Março – " A Palavra" Abro cuidadosamente o papel amarelento e frágil, queimado pelo tempo, e estupefacto encontro edi...

COMO SE ALCANÇA O SUCESSO

Quando ouvia dizer que Fulano havia conquistado no prémio X, ou atingido elevado cargo, acreditava no mérito. Para mim o mérito obtinha-se com: esforço, muitas horas de estudo e sacrifício. Não nego que não haja mérito, e há quem suba na escala social, devido ao trabalho intenso, inte...

" OS BEM COMPORTADOS PODEM SAIR"

Havia na empresa onde trabalhei quase quarenta anos, o costume, enraizado na tradição, de não abandonar o local de trabalho, sem o chefe do departamento, dizer: " Podem sair!" Ora, após a Revolução dos Cravos", muitos camaradas, confundindo liberdade com falta de educação, logo que os pon...

UM DOIDIVANAS INCORRIGÍVEL

Todos reconhecem Camilo Castelo Branco, como escritor talentoso. Admiram-lhe a riqueza do vocabulário e a vernaculidade da prosa. Pensam, contudo, os menos versados em literatura, que realizou aturados estudos para obter a invulgar cultura, que possuía, ou que frequentou curso de Letras. Enc...

OS AMORES DE SALAZAR

O conceito que se tem de Salazar, é de político solitário, déspota e por vezes impiedoso. Mas seria o estadista, realmente, assim? Ou seria amoroso, mas cujo coração foi endurecido pelas constantes humilhações e afrontas sofridas na infância e adolescência? Nesta despretensiosa crón...